AGENDA CULTURAL

29.6.15

Araçatuba ensina teatro em Penápolis

Grupo de Penápolis que encenou "Viúva, porém honesta"
Em 1957,  a peça "Viúva, porém honesta", de Nélson Rodrigues, foi apresentada pela primeira vez. E teve Jece Valadão como artista principal.

Ser viúva naquele tempo era uma dureza, mas mesmo agora se pratica o bullying com a viuvez, pois durante a viagem até Penápolis, fomos zoando a caronista Áurea, minha cunhada, que é viúva:

- Você é honesta, né, Áurea! Diferente das outras. E kkkkkk. -   
Panfleto de divulgação - frente
 Além de ironizar a função do médico, do jornalista, do crítico de teatro, Nélson Rodrigues na peça simula uma redação de jornal, local onde trabalhou por longo tempo como repórter policial, no A Manhã.

Abandonei uma sexta-feira nervosa de Araçatuba (26/6/2015), com muitas atrações, para assistir a uma peça encenada por aprendizes em Penápolis, no cine teatro Lúmine, convidado por minha sobrinha Etiene Consolaro, que fez o treinamento vocal do grupo. Quando ela convoca...
Panfleto de divulgação - verso
Lá eu vi Alexandre Melinsky desesperadamente querendo educar os espectadores, dizendo que não se pode comer durante a apresentação, costume já incorporado em Araçatuba. Como se tratava de um cine teatro, o pipoqueiro era o próprio dono da casa. Cada espectador entrava com saco de pipocas quentinhas.

Na verdade, eu gosto de teatro, o convite de minha sobrinha foi uma dádiva,  principalmente quando surge um novo grupo, como acontece no final de cada curso de artes cênicas do Senac de Araçatuba. No começo, o pessoal do grupo se acha artista, fica até fazendo pose, viram malas, depois a ficha vai caindo e os que têm realmente vocação seguem a estrada do teatro. Muito normal.

O convite feito pela Etiene foi arquitetado pelo Universo, porque justamente em Penápolis que vi pela primeira vez uma peça teatral sendo apresentada numa esquina, numa arena improvisada, "Auto da compadecida", de Ariano Suassuna, tendo como Chicó o saudoso Flávio Valente, que depois se tornou professor de Matemática.

Naquela época (fins da década de 60), em Araçatuba, não se via isso, principalmente um rapaz pobre como eu. E Penápolis era invejada por ser a capital cultural da Noroeste. Saudades da Galeria Itaú Cultural de Penápolis.

E na sexta-feira, 26/6/2015, eu, transformado em secretário municipal de Cultura de Araçatuba desde 2009, fui ver um grupo de teatro de Penápolis que fora preparado por gente de Araçatuba, como Alexandre Melinsky, Mauro Jr, Etiene Consolaro e Theo Dorico. 

Para mim, foi um orgulho. Não que eu quisesse mal Penápolis, mas por ver que Araçatuba hoje se tornou a capital cultural da Noroeste graças a uma política cultural do prefeito Cido Sério (PT).  

Que Penápolis não fique triste. Se sou hoje o que sou, devo isso ao curso de letras que fiz na Funepe - 1969/1972 - tendo como professores Toninho Braga, Anésia Vince Ferreira, Gilson Monteiro e, principalmente, José Fulaneti de Nadai e muitos outros mestres importados de universidades públicas.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Secretário municipal de Cultura de Araçatuba-SP

SINOPSE
Nélson Rodrigues
Viúva, porém honesta - Vista como uma vingança e um desabafo de Nelson Rodrigues contra médicos, psicanalistas, jornalistas e especialmente contra a crítica teatral, a “farsa irresponsável em três atos” mostra um dono de jornal sem escrúpulos que, para discutir o problema da filha Lucy, promove uma reunião com um médico, um psicanalista, uma cafetina e até o diabo (papel de Jece Valadão). De esposa adúltera, Lucy se torna uma viúva respeitosa que não quer mais sentar depois da morte do marido, Dorothy Dalton, delinqüente juvenil transformado em crítico de teatro e obrigado a se casar com a filha do patrão, apesar de ser homossexual. Além de um contra-ataque, a peça também serviu como embrião para tipos que foram retomados em trabalhos posteriores. O doutor J.B. de Albuquerque, dono do jornal, pode ser considerado o primeiro molde do dr. Werneck, de Bonitinha, mas ordinária, assim como a tia solteirona que gostaria de ter 3.500 amantes reaparece em Toda nudez será castigada.  (https://pt.wikipedia.org/wiki/Nelson_Rodrigues)

Um comentário:

Ricardo Faria disse...

Seu título é uma piada. Você como secretário de cultura tem o dever de respeitar o cenário e a diversidade Cultural de cada município. E o Senac não é dádiva sua. O Senac nao está em Araçatuba porque vc é foda, é porque é uma cidade pólo. E tem o dever como uma instituicao ligada a industria - comercial e tem seu dever social para os municípios que o cercam. Você é seu comentário são escrotos.