AGENDA CULTURAL

14.12.14

Barretos não é só rodeio e hospital

Marlene Fachin, presidenta da ALAB, Hélio Consolaro, secretário municipal de Cultura de Araçatuba e acadêmico da Academia Araçatubense de Letras; Jota Carvalho, acadêmico recém-empossado na ALAB  
Hélio Consolaro*

No sábado, quando Tião Carreiro completava 80 anos de nascimento, estive a convite de Jota Carvalho à sua posse na Academia de Letras e Artes de Barretos, capital nacional do rodeio. Solenidade foi realizada na sede da Associação Comercial e Industrial de Barretos – ACIB, às 9h.

Barretos é uma cidade com aproximadamente 120 mil habitantes, conhecida no Brasil por duas virtudes: festa do peão e hospital do câncer. Quando eu disse para um político de Araçatuba que nossa cidade é bem maior que Barretos, ficou assustado. Há gente que não conhece a grandeza do município onde mora.

Podemos dizer que Barretos também é um município líder no resgate da cultura caipira do interior paulista. Não é à toa que Jota Carvalho tornou-se um imortal, porque ele é um capiau legítimo, usa chapelão, faz programas de música raiz no rádio barretense, já gravou vários CDs com declamação de poemas, compôs músicas de sucesso no mundo sertanejo. A sua posse na ALAB significa a valorização da cultura caipira.
 
Novos acadêmicos empossados: Rosilaine Destri Andrade, Regina Céli Costa Wilman, Jota Carvalho, Alexandre tarasinsky, Rogério Aparecido Santos da Cruz, Priscila Ventura Trucullo, Cristiane Viana Nogueira do Carmo, Júlia Aparecida Loureiro Garcia e Luciana Jacob Naviskas
Jota Carvalho, cujo nome verdadeiro é Jesus, é poeta popular, compositor de modas caipiras, poemas sertanejos, como “Relato Touro Bandido”.
Com Jesus em seu quadro de acadêmicos, a ALAB estará abençoada.  

Chegando a Barretos, quis comprar um “paletó de irmão”, pois havia esquecido o meu, mas não encontrei tal vestimenta. Um balconista me fez desistir:

- Aqui o senhor não vai encontrar isso. A coisa mais difícil é vender blazer em Barretos.

Pensei: “A comunidade evangélica em Barretos deve ser pequena, porque em Araçatuba se encontra o “paletó de irmão” (geralmente da cor preta e bem simples) à venda em todas as esquinas”.
Karla Arbani (vermelho), secretária de Cultura de Barretos, membro da Academia Barretense de Cultura; Marlene Fachin, presidente da ALAB 
A solenidade foi curta, apesar de vários acadêmicos terem tomado posse. Apenas a presidenta Marlene Fachin e um representante dos recém-empossados discursaram (Priscila Ventura Trucullo). A palavra não foi oferecida a ninguém mais. Eu e o Jota estávamos com o discurso pronto. Ficamos na vontade.
 
Todos os acadêmicos presentes: antigos e novos
Assim o almoço saiu bem cedinho: 11h no restaurante Brachiaria. Assustado, perguntei se era servido o tal capim. Todos riram e fomos felizes.

No restaurante eu tive o prazer de conhecer Marlene Fachin mais de perto, a presidenta da Academia de Letras e Artes de Barretos (ALAB), José Antônio Merenda (presidente da Academia Barretense de Cultura), Karla Arbani, secretária municipal de Cultura e Nilo Sérgio Marchi, diretor presidente da Associação dos Profissionais de Imprensa de São Paulo. 

A imortalidade de um artista é permanecer na memória de sua cidade, de seu estado, de seu país. Nesse sentido, Jota já é um imortal. A todos os recém-empossados da ALAB, muito trabalho a favor das letras e da cultura barretense.


*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Secretário municipal de Cultura de Araçatuba-SP

Um comentário:

APISP SP disse...

Presença do nobre jornalista, poeta imortal Hélio em Barretos foi motivo de muita honra!
A APISP agradece a sua atenção e consideração.
Estaremos juntos sempre!
Parabéns pelo BLOG!

Nilo Marchi
Presidente da APISP.