AGENDA CULTURAL

14.10.16

Quem perdeu e quem ganhou nas eleições em Araçatuba



Hélio Consolaro*

Lógico, quem perdeu foi o PT, fui eu e Durvalina Garcia, que tivemos uma fragorosa derrota; foi o prefeito Cido Sério com sua postura de líder nanico, o Luís Fernando da Lomy (dizendo sim com o rabo e não com a cabeça), mas outros segmentos políticos também perderam.

PERDEDORES

Colônia japonesa: novamente não conseguiu eleger um representante para a Câmara Municipal de Araçatuba, onde, nalgumas legislaturas, chegou a ter dois vereadores.

Pastores, bispos etc.: brigaram tanto pelo poder deste mundo que os fiéis se encheram deles. Até o bispo ficou para trás. Quem vai procurar a igreja está atrás de paz de espírito, fugindo de conflitos.

Andorfato: matriarca Clarice Andorfato obteve pífia votação como candidata a vereadora. Para uma família que já ocupou a Prefeitura de Araçatuba...

Maluly: nem usando o nome do avô, Dr. Maluly, o neto conseguiu votos. Há líderes frondosos que em sua sombra não nasce nem tiririca.

Renovação da Câmara Municipal: aquele slogan “faça um político trabalhar, não o reeleja” não funcionou em Araçatuba. Dos 10 vereadores que tentaram a reeleição, 09 voltaram. Trata-se de um índice que contraria em muito a média dos municípios do Estado de São Paulo. Para exemplificar, em Pereira Barreto, apenas dois vereadores se reelegeram. A acusação que cai sobre o Gilberto Batata Mantovani (PR) com o episódio ocorrido defronte à EE Purcina Elisa de Almeida é apenas a ponta do iceberg.

Mulheres: de três mulheres na última legislatura, a próxima terá duas, com a ida de Edna Flor para a vice-prefeitura. Com aquilo que aprontaram com Dilma Rousseff na presidência, houve um balde de água fria na participação das mulheres na política.

Mas houve quem ganhou, pois numa disputa há vencidos e vencedores:

VENCEDORES

A persistência de Dilador Borges (PSDB). Quem sempre é candidato, numa hora acerta, pega o adversário na fraqueza. Ele tentou pela terceira vez. Acertou porque o PT enfraqueceu-se, ganhou por que se juntou com Edna Flor (PPS).  Assim foi Francois Mitterrand na França, Lula, no Brasil.

A polícia civil: elegeu três vereadores – Dr. Jaime (PDT), Dunga (DEM), Carlos Roberto Santana (SD). O ex-vereador Nélson Reis Alves, delegado de polícia que ocupou representatividade em várias legislaturas na Câmara Municipal de Araçatuba, fez escola.

A direita ideológica: a maioria dos vereadores de nossos municípios são direitistas meio inconscientes, fisiológicos, aqueles que procuram apenas vantagens pessoais e grupais. Na próxima legislatura, haverá um representante da direita ideológica na Câmara Municipal de Araçatuba, o advogado Almir Fernandes (PSDB), que comandava as manifestações em favor do impeachment, escrevia cartas raivosas nos jornais e com o mesmo teor se manifestava pela internet. Coisa rara uma pessoa assim se eleger, foi uma candidatura que nasceu das ruas.

UMA CURIOSIDADE

O advogado Alceu Batista (PV), que é rotariano e OAB, foi autor de várias denúncias graves contra o vereador mais votado Cido Saraiva (PMDB) nos últimos anos. Agora, o denunciante foi eleito vereador. Como vai ser a convivência de ambos no legislativo municipal?

CONCLUSÃO
Nem sempre o ganhador ganha, às vezes, ele perde. Aí o perdedor ganha. A legislação eleitoral mudou nesta eleição, mas a derrama de dinheiro nem tanto. Ainda não aconteceu a prestação de contas dos gastos em campanha à Justiça Eleitoral. Esperemos.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Disputou a eleição de 2016 como candidato a prefeito em Araçatuba.


Um comentário:

Stella Sih disse...

Oi, Hélio:
Sua combatividade continua a mesma do início da década de 1980, quando trabalhamos juntos. Fiquei feliz em perceber isso. Meu pai dizia que "... existe madeira que não se enverga diante do homem. Pensa ser mais forte do que ele e, pelo jeitão dela, é mesmo". Pela sua análise sobre o resultado das eleições na provinciana Araçatuba, cheguei à conclusão de que a sua não eleição teve um lado bom: não ser confundido com os "vencedores".
Um grande abraço e minha admiração.