AGENDA CULTURAL

29.4.21

Herança maligna


 Coveiro leva facada ao separar briga por herança - Folha da Região, 29/04/2021

Essa notícia é trágica por si só, o cronista não precisa acrescentar muita coisa. Às vezes, a vida denuncia os protagonistas e antagonistas com toda a sua eloquência.  

Se fosse cena de um filme, uma novela, iríamos dizer que o autor havia exagerado nas tintas. Ela revela a pequenez humana, a falta de respeito pela falecida e o apego às coisas materiais.

Exagerando: o corpo ainda estava quente e os parentes na disputa dos bens amealhados pela morta. 

E quem levou a pior foi o coveiro, cumpridor de suas obrigações de ofício. Como ele vai explicar para familiares e amigos a facada, pois não estava em campanha eleitoral.

A gente é isso mesmo, só pensa nos bens, todo mundo sabe, mas podia muito bem saber o momento de discutir a partilha. Tudo aconteceu fora de hora, num cemitério denominado "Recanto de Paz". 

Certamente a sepultada, a tia dos herdeiros, era a única pessoinha em paz naquela família beligerante. 

Se a sepultada tivesse morrido de Covid-19, a herança será maligna. 

LEIA, CLICANDO AQUI, A NOTÍCIA 

Nenhum comentário: