AGENDA CULTURAL

26.11.16

Fidel Castro e a Maçonaria

A Grande Loja de Cuba, conhecida popularmente
como o Edifício Maçônico

Foice e martelo de um lado, régua e compasso do outro

O Presidente de Cuba, Fidel Castro, tem boas relações com a Maçonaria e, naquele País, os pedreiros-livres vivem em harmonia, ao contrário da vivência em Países com regimes totalitários. Conta a história que Fidel Castro, o líder da revolução cubana, foi salvo por um amigo maçom, quando estava preso pelas tropas do ditador Fulgêncio Batista. Os pedreiros – livres  estão espalhados por todo o mundo, nas mais variadas profissões, classes sociais e partidos políticos, a não ser nos Países totalitários. 

Neste sentido, há uma exceção que confirma a regra da lealdade maçônica. Em Cuba, a Maçonaria funciona livremente desde a revolução, em 1959, mantendo boas relações com o governo de Fidel Castro. A Causa disto se encontra num fato narrado à imprensa internacional pelo próprio líder cubano. Fidel Castro e mais dois companheiros de guerrilha foram aprisionados pelas tropas do ditador Fulgêncio Batista. 

Os inimigos não imaginavam que entre os três estava Fidel Castro e decidiram fuzilá-los somente na manhã seguinte como prisioneiros comuns. Um dos revolucionários era maçom e naquela mesma noite, durante o julgamento dos três, fez um sinal de reconhecimento de uso exclusivo dos maçons. Nas forças de Batista, um tenente reconhecendo-o,  posteriormente veio conversar com ele.  

Durante a noite, facilitou sua fuga e também a de seus camaradas, livrando-os da morte e poupando aquele que seria o principal líder da revolução. Fidel, incrédulo, quis saber como um inimigo, após conversar com o outro, o liberta e a seus amigos. O companheiro lhe explicou que o tenente era maçom, e os havia libertado pelo ideal de fraternidade indissolúvel da irmandade, que está acima das ideologias. EL CABALLO”, termo carinhoso pelo qual Castro era chamado pelo próprio povo, em decorrência de sua alta estatura.
O líder maçom e revolucionário
cubano José Martí

Verificando a existência de uma Instituição que estava acima das ideologias, permitiu o funcionamento da Maçonaria em Cuba desde os primeiros dias do regime comunista.  
 
Publicado no Jornal da Fundação Maçônica
 Manoel dos Santos – Uberlândia - MG 
Pesquisa: Irmão Marcolino Alves Rocha

4 comentários:

DeDêCamillo disse...

Legal,isto constava no meu desconhecimento,agora passou para meu conhecimento. Obrigado
DeDêCamilo@gmail.com

Anônimo disse...

Desconhecia esse causo, e mostra o que a união é capaz.

Anônimo disse...

A Maçonaria internacional e a Americana, sustentam o sanguinário ditador comunista Castro, no poder desde 1959! E o criminoso ditador Castro, mente o mundo que os americanos querem mata-lo, quando na verdade a Maçonaria Americana o ajuda, porque Castro deixou a maçonaria livre em Cuba!

Ruy Barbosa disse...

Enquanto a Maçonaria em nossa republiqueta tem atitudes ignóbeis. Lembrem-se dos maçons na Câmara dos Deputados bradando: masmorra aos comunistas!