AGENDA CULTURAL

14.4.16

Vendedores de goiaba - goiabeiros guerrilheiros


Goiaba mole, goia dura, goiaba verde, goiaba madura, goiaba vermelha, goiaba branca, goiabas gostosas, todas numa  carriola no calçadão. Isso em Araçatuba, mas se repetiu em São José do Rio Preto, São Carlos, em todas as esquinas.

Dizem, não sei se é verdade,  que Itapetininga-SP (ou Estado do Paraná) é a cidade da goiaba, e os produtores de goiaba escoam a produção enchendo caminhões de goiaba, carriolas e vendedores, botando tudo na estrada, enchendo as outras cidades de frutas. 

   
E passam a orientação para os vendedores:

- Se os fiscais ou guardas municipais criarem caso, enfrentem, provoquem, façam vir pra cima de vocês. E gritam, dizendo que querem trabalhar, chame a população. Faça de conta que a goiaba é produção de seu quintal.

Treinamento de guerrilheiros.


Em Rio Preto:
Fiscais e vendedor de goiaba causam tumulto

S. J. DO RIO PRETO - Embate entre fiscais da Prefeitura de Rio Preto e um vendedor de goiaba que fazia ponto em frente à Rodoviária chamou a atenção e provocou tumulto na tarde de ontem. 



Quando os fiscais tentaram recolher as goiabas, o ambulante virou a carriola, despejando as frutas no meio da rua. “Pelo menos assim, o povo pode pegar e comer”, disse Edson Moreira Miola, 29 anos, que alega prejuízo de R$ 300. Ele conta que é a segunda vez que é abordado em 15 dias. 


“Tenho quatro filhos e uma mãe doente para sustentar. To fazendo meu trabalho honesto sem tirar nada de ninguém”, afirma. 


Guarda Municipal de São Carlos apura conduta de agentes que detiveram vendedor de goiaba


ARAÇATUBA-SP

Flagrado no Calçadão pela 2ª vez, vendedor de goiaba é agredido

Menos de um mês após ser detido por estar vendendo goiabas no calçadão da rua Marechal Deodoro, no centro de Araçatuba, um ambulante de 28 anos foi novamente levado para a delegacia na manhã desta quinta-feira (31) após ser flagrado com uma carriola carregada com o produto no mesmo local. Assim como no último dia 12, populares se revoltaram com a ação da Guarda Municipal, que usou força física para conter o vendedor, que chegou a ser chutado por um dos guardas enquanto estava no chão.

SOLUÇÃO
Como além de escritor, sou Secretário Municipal de Cultura de Araçatuba, embora são seja uma atividade pertinente à minha pasta, as pessoas me cobram soluções. Hoje, o goiabeiro e vendedores de outros produtos sazonais (de cada estação do ano) são atividades globalizadas, percorrem todo o Brasil, impossível se regularizar em todas as prefeituras de municípios por onde passam. Como fazer isso?

Em Araçatuba, o Calçadão é administrado por uma associação, a ALCA. Se a Prefeitura ajuda na manutenção, os comerciantes também contribuem. Na verdade, o Calçadão é como se fosse um shopping. Um vendedor de goiaba não vai vender seu produto em shoppings. Então, os comerciantes denunciam a presença deles no local à Prefeitura. 

Como os goiabeiros são pessoas escoladas, fiscais e guardas agem da mesma forma em todos os municípios, então já provocam para causar confusão. Mas isso não justifica a violência por parte das autoridades. 

Precisamos nos reunir com comerciantes estabelecidos, que contribuem com seus impostos  e encontrar uma solução humanitária. HÉLIO CONSOLARO


2 comentários:

claudio mirage disse...

os goiabeiros tem razao sim. Estao oferecendo um produto que tem demanda. Se a prefeitura quiser lutar contra a lei da oferta e procura, ja perdeu. como autoridade o sr colunista poderia ver com seus pares um jeito de legalizar a atividade dos caras.Cobrem os impostos que for justo e exijam as condições sanitarias cabiveis

Helio Consolaro disse...

Cláudio, concordo com você. Eu apenas quis mostrar que não é um problema só de Araçatuba e que atividade de goiabeiro não é exercida por gente de nossa cidade. Como eles só passam por aqui, atuam em várias cidades, fica difícil se regularizar em cada cidade. Abraços