AGENDA CULTURAL

10.12.17

Sesc Birigui oferece oficinas de desenho gratuitas com artista Renato Pera esta semana

De 12 e 17 de dezembro ele ministra cinco oficinas gratuitas de desenho no Sesc Birigui

Renato Pera é artista multimídia contemplado com alguns prêmios de seu segmento e graduado em Artes Plásticas pela Universidade de São Paulo, onde realiza atualmente o seu Doutorado. Seu trabalho integra coleções do Município de Atibaia (SP) e do Museo Diego Rivera – Anahuacalil, Cidade do México. Entre os dias 12 e 17 de dezembro, ele estará no Sesc Birigui para ministrar cinco oficinas gratuitas de desenho: “Desenho de observação e estranhamento de objetos”, na terça (12), “Retrato: Primeira aproximação ao corpo humano”, na quarta, “Desenho Narrativo”, na quinta, “Desenho de animais, monstros e formas híbridas”, na sexta, e “Desenho de modelo-vivo”, no sábado e no domingo. Todas as atividades são gratuitas. 
Renato tem vasta experiência como artista visual. Ele foi contemplado com o Prêmio Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais (2012) e Destaque do Júri no VI Encontro de Artes de Atibaia, SP (2007). Participou das residências artísticas Red Bull House of Art, São Paulo, SP (2011) e do Programa de Residencias Artísticas Para Creadores de Iberoamérica y Haití en México (2010).

É propositor inquieto de obras realizadas em espaços públicos, como o Projeto “Vitrinas MASP / Metrô de São Paulo”, concebendo e inaugurando o programa, e então atuando como seu coordenador para a exposição do trabalho de mais de vinte outros artistas (2011 a 2014). Além disso, fez intervenções na cidade do Rio de Janeiro ("Vazão", 2015, Galeria A Gentil Carioca), e São Paulo ("Cosmogonia", 2012, Ateliê 2e1, e intervenções no Campus Butantã da USP, 2006, 2007 e 2008).

Realizou exposições individuais e participou de diversas mostras coletivas, no Brasil e também na Colômbia. Entre suas mais recentes exposições individuais, estão: “Renato Pera: Vão e Vazão”, projeto realizado em espaços públicos por meio do ProAC-ICMS / Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo (2017), “Sangue” (Sesc Santana, SP, 2016), “Reminiscências” (Galeria Tato, SP, 2015) e “O Muro” (Sesc Ipiranga, SP, 2014). É docente em palestras, cursos e oficinas de arte e já publicou obras e textos em diversos meios.

Confira as atividades e suas descrições:
Desenho de observação e estranhamento de objetosCom Renato Pera
Desenho de observação e estranhamento dos objetos
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas. Nessa aula será trabalhado o desenho de observação com exercícios de ampliação exagerada da escala dos objetos.
Dia 12/12, terça, das 14h às 17h e das 19h às 21h30
Na Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.
Retrato: Primeira aproximação ao corpo humanoCom Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula serão propostas experiências de representação do corpo humano por meio do retrato. Os participantes serão convidados a vestir um adereço carnavalesco, uma fantasia. Por meio de uma atividade festiva e lúdica, iremos refletir sobre o que significa construir uma persona, especialmente no atual contexto das redes sociais.
Dia 13/12, quarta, das 14h às 17h e das 19h às 21h30
Na Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.
Desenho NarrativoCom Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula a inspiração será o teatro de sombras. Será criado coletivamente um desenho panorâmico, grande ou pequeno, a partir da silhueta de corpos e objetos, com a intenção de contar uma história, construir uma narrativa.
Dia 14/12, quinta, das 14h às 17h e das 19h às 21h30
Na Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.
Desenho de animais, monstros e formas híbridasCom Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula, que parte da observação da anatomia animal, os participantes serão provocados a inventarem seus próprios seres fantásticos. Será uma atividade imaginativa de montagem e desmontagem de corpos.
Dia 15/12, sexta, das 14h às 17h e das 19h às 21h30
Na Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.
Desenho de modelo-vivoCom Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula será proposta a prática de desenho de modelo-vivo a partir da observação direta da anatomia humana. As sessões terão modelos que posarão nus, seminus ou vestidos e terão como temáticas, os conceitos de "corpo em movimento" e "corpo e cena".
Dias 16 e 17/12, sábado e domingo, das 10h às 13h e das 14h30 às 17h30
Na Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.

Louvando Raquel de Queirós

Capa do livro editado pela TAG
Todos que conhecem alguma coisinha de literatura brasileira, quando se fala em Raquel de Queirós, surge logo o nome de seu primeiro romance "O Quinze", publicado em 1930. E é bom dizer que ela exerceu sua precocidade, pois nesse ano completara 20 anos de idade.

Com "O Quinze", se referindo à seca terrível de 1915, Raquel se engajou ao movimento liderado por Gilberto Freire que propunha chamar a atenção do Sul do Brasil para os problemas  do Nordeste, principalmente a seca. O Manifesto Regionalista de 1926 surgiu em Recife numa reunião de escritores e intelectuais nordestinos. E o primeiro romance do grupo foi "A bagaceira", de José Américo de Almeida. Quem estudou bem literatura para o vestibular conhece bem essa parte da História da Literatura Brasileira. Raquel ficou marcada com a publicação de "O Quinze".


Novela da Globo - 1980
Apesar de conhecer alguma coisa de literatura brasileira, nunca mergulhei nas obras dessa escritora cearense. Em 1980, comemorei o fato de a Globo transformar o livro "As três Marias" em telenovela, com adaptações, mas fiquei por aí, nem assisti à novela e nem li o livro. Na época, eu era um dador de aulas, na rede pública e na rede particular, não sobrava tempo.

Agora, sendo dono de meu tempo, caiu nas minhas mãos por meio da TAG (ou TAG - clube de leitura), "As três Marias" (1939). Comecei, me entusiasmei, foi o livro que li mais rapidamente dos volumes recebidos na caixinha. Leitura fácil de texto pobre. Não. Há um trabalho primoroso com as palavras, como atestou Mário de Andrade na época.

A exemplo de Mário de Andrade, eu vibrava com cada frase construída, revelando com poesia e estranhamento a vida de nosso cotidiano. Eis o que o modernista escreveu em sua crítica em 1946, sete ano após a publicação de "As três Marias": "As frases se movem em leves lufadas cômodas, variadas com habilidade magnífica. Talvez não haja agora no Brasil quem escreva a língua nacional com beleza límpida que lhe dá, neste romance, Raquel de Queirós."


Raquel de Queirós 
A narrativa é simples, com caráter autobiográfico, sem malabarismos, mas o subtexto traz uma mensagem forte em defesa da mulher que deixa os homens prejudicados. Se a leitura do livro feita hoje revela isso, choca, imagine como foi em 1939, um ano após a mulher conseguir ser cidadã no Brasil e poder votar nas eleições. A personagem-narradora Maria Augusta (uma das três Marias) aborta, mas a autora não deixa claro se a ação foi involuntária. Pelo caráter libertário da protagonista, conclui-se que fora voluntário.

Raquel de Queirós foi pioneira em vários aspectos da literatura brasileira. Havia um machismo tão grande, inclusive entre os escritores, que ao lançar "O Quinze", acharam que o nome dela fosse o pseudônimo de um homem. Também foi a primeira mulher a ocupar uma cadeira em 1977 na Academia Brasileira de Letras. Não foi uma moça pobre, era filha de fazendeiro cearense, meio parenta do escritor José de Alencar e ligadíssima à família do ex-presidente Castelo Branco.

Como cantou Manuel Bandeira: Louvo o Padre, louvo o Filho, o Espírito Santo. Louvo Raquel, minha amiga, nata e flor de nosso povo".

*Hélio Consolaro, professor, jornalista e escritor. Membro da Academia Araçatubense de Letras.

OUTRO QUE ESCREVEU SOBRE O LIVRO
As três marias e os três joões - Sério Rodrigues  


9.12.17

Programação de 11 a 17/12 - Sesc Birigui


Shows, espetáculos, performances, exibição de filme e intervenções

Exibição de filme
Como Nossos Pais
Dir. Laís Bodanzky
Brasil | 2017 | 102 min | Ficção | 14 anos
Rosa (Maria Ribeiro), 38 anos, é uma mulher que se encontra em uma fase peculiar de sua vida, marcada por conflitos pessoais e geracionais: ao mesmo tempo em que precisa desenvolver sua habilidade como mãe de suas filhas, manter seus sonhos, seus objetivos profissionais e enfrentar as dificuldades do casamento, Rosa também continua sendo filha de sua mãe, Clarice (Clarisse Abujamra), com quem possui uma relação cheia de conflitos.
Dia 12/12, terça, das 20h às 22h. Teatro. Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis.

Performance
INTERVENÇÕES HUMANAS - Grafite corporal com frases de resistência 
A performance é uma apresentação interativa sobre a função política da estética. A arte e o ativismo se encontram em diálogo através da prática de grafites corporais feitos na pele em forma de poesia de resistência.
Dia 14/12, quinta, das 18h às 21h. Sala Múltiplo Uso 1. Não recomendado para menores de 12 anos. Grátis.

Show
BOOGARINS
A banda goiana apresenta o repertório do seu último álbum Lá Vem Morte (2017). Formada em 2012 por Fernando "Dinho" Almeida e Benke Ferraz, a banda ganhou projeção nacional e internacional com suas composições de inspiração psicodélicas e tendo participado dos principais festivais de rock do Brasil e Europa nos últimos anos.
Dia 14/12, quinta, das 20h às 21h30. No Teatro. Livre.
Ingressos - R$20,00 (inteiro) / R$10,00 (meia) / R$6,00 (com credencial plena)

Espetáculo de dança
POR+VIR
Companhia de Danças de Diadema
Nove coreógrafos trazem a possibilidade da experimentação de momentos únicos, cada um em sua ótica sobre a dança contemporânea. Com a realização deste projeto, a Companhia expressa o gosto pela versatilidade de sua maneira de olhar a dança, através dos corpos de seus intérpretes e diferentes estilos desenvolvidos pelos coreógrafos, proporcionando ao público, um múltiplo panorama gestual e sensorial. Dia 15/12, sexta, das 20h às 21h10. No Teatro. Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis.

Espetáculo de dança
A MÃO DO MEIO
Companhia de Danças de Diadema
Este espetáculo mostra a fabulosa aventura de uma mão que, fascinada por movimentos, parte à descoberta do corpo. Uma sinfonia lúdica composta de movimento, som e luz, que nos faz mergulhar num mundo feito poesia. Situações cotidianas se transformam, num piscar de olhos, em mágica. Gestos simples fazem surgir imagens surpreendentes e sensações inéditas. Uma história sobre o nascimento, a descoberta do corpo e da vida, e também, sobre as diferenças. Não precisa ser um super-herói para viver experiências incríveis e enriquecedoras.
Dia 16/12, sábado, das 20h às 21h. Teatro. Livre. Grátis.

Espetáculo de música
Coro Masculino de Alumínio
O Coro Masculino de Alumínio é um grupo independente composto por cantores da comunidade da cidade de Alumínio (grande São Paulo), colaboradores e ex-colaboradores dos fornos da Cia Brasileira de Alumínio (CBA). O grupo, em nova fase, agora independente da empresa, apresenta um repertório de Música Sacra e Música Popular Brasileira.
Dia 16/12, sábado, das 18h às 19h. Praça Doutor Gama – Birigui. Livre. Grátis.
Dia 17/12, domingo, das 11h às 12h. Teatro do Sesc Birigui. Livre. Grátis.

Espetáculo de teatro
A princesa errante e o príncipe errado 
O espetáculo conta a história de um príncipe que se sentia errado e uma princesa que queria ser errante. Mas a mãe da princesa desejava que ela fosse a maior princesa de todos os tempos e o príncipe foi predestinado, pelo seu pai, a ser o próprio "encantado": forte, corajoso e salvador de princesas. Desencaixados das expectativas sociais, os dois serão unidos pelo destino numa jornada que questiona as histórias que contamos e os paradigmas de felicidade: por que cada um não pode ser o que quer ser?  Cia Auspiciosa.
Dia 17/12, domingo, das 17h às 18h. Teatro. Livre. Grátis.
Performance
Diversidade Cultural -  "Em Legítima Defesa"?
Com o coletivo Legitima Defesa.
É um grupo formado artistas/atores/atrizes de ação poética, portanto política, da imagem da "negritude", seus desdobramentos sociais históricos e seus reflexos na construção da "persona negra" no âmbito das linguagens artísticas. Constituindo desta forma um diálogo com outras vozes poéticas que tenham a reflexão e representação da "negritude" como tema e pesquisa. Este ato de guerrilha estética surge da impossibilidade, surge da restrição, surge da necessidade de defender a existência, a vida e a poética. Surge do ato de ter voz. Ser invisibilizado é desaparecer, desaparecer é perder o passado é interditar o futuro, portanto não é uma opção.
Dia 16/12, sábado, das 14h às 15h e das 18h às 19h. Área de Convivência. Livre. Grátis.


Oficinas, aulas abertas, vivências, bate-papos, passeio

Oficina
Desenho de observação e estranhamento de objetos
Com Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas. Nessa aula será trabalhado o desenho de observação com exercícios de ampliação exagerada da escala dos objetos.
Dia 12/12, terça, das 14h às 17h e das 19h às 21h30. Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.

Oficina
Internet das Plantas: montando uma horta automatizada
Com Caleb Mascarenhas
Aprenda a criar um sistema automatizado para hortas e jardins com ferramentas livres (Processing, Arduino e Raspberry Pi). Ao longo da oficina serão abordados conceitos sobre o sistema Garduino, a Internet das Coisas, Cultura Livre e o Movimento Maker. O protótipo da horta fica montado no espaço do primeiro até o último dia da oficina.
De 12 a 15/12, terça a sexta, das 13h30 às 16h30. Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis.

Aula aberta
Conhecendo a Cultura Hacker
Com Leandro Mariano Barbosa
Você conhece os princípios e a filosofia da Cultura Hacker? Ao longo de três dias, vamos refletir e debater sobre esse movimento que teve início ainda na década de 1950.
De 12 a 14/12, terça a quinta, das 17h30 às 19h. Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis.

Aula aberta
Breve introdução à programação de jogos
Com Leandro Mariano Barbosa
Aprenda a criar animações e jogos simples utilizando o Scratch. Através do uso da linguagem de programação em blocos, a oficina propõe a criação de histórias, animações, jogos, músicas e objetos de aprendizagem interativos.
12/12 - A origem do Scratch e seus pressupostos teóricos: Download e instalação; Primeiro jogo.
13/12 - Apresentação da interface e conceitos dos elementos que a integram: Funcionamento e utilização dos blocos; Jogo com mouse.
14/12 - Sugestão de atividades desenvolvidas por meio do Scratch: Jogo com teclado. Criando a conta no Scratch: Publicando o jogo.
De 12 a 14/12, terça a quinta, das 19h30 às 21h30. Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis

Oficina
Retrato: Primeira aproximação ao corpo humano
Com Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula serão propostas experiências de representação do corpo humano por meio do retrato. Os participantes serão convidados a vestir um adereço carnavalesco, uma fantasia. Por meio de uma atividade festiva e lúdica, iremos refletir sobre o que significa construir uma persona, especialmente no atual contexto das redes sociais.
Dia 13/12, quarta, das 14h às 17h
Dia 13/12, quarta, das 19h às 21h30
Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.

Oficina
Desenho Narrativo
Com Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula a inspiração será o teatro de sombras. Será criado coletivamente um desenho panorâmico, grande ou pequeno, a partir da silhueta de corpos e objetos, com a intenção de contar uma história, construir uma narrativa.
Dia 14/12, quinta, das 14h às 17h
Dia 14/12, quinta, das 19h às 21h30
Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis

Oficina
Arte de envelhecer: oficina de argila
Utilizando a argila, esta oficina propõe uma reflexão sobre o envelhecer.
Na criação de um rosto humano em argila exercitamos o olhar para a aceleração do  tempo.
Dia 14/12, quinta, das 14h às 17h. Sala Múltiplo Uso 1. Grátis

Oficina
Idosos - Vozes e Ritmos
Marcos Tinareli
Atividade semanal voltada ao público idoso, com o objetivo de desenvolver o contato com diferentes repertórios musicais, além de integrar os participantes dentro de uma dinâmica teórico prática.  Neste módulo será trabalhado como tema referencial o Clube da Esquina, movimento musical brasileiro surgido na década de 1960 em Belo Horizonte e também o Rock Nacional anos 80 através de sua explosão musical na época. O curso será ministrado pelo músico Marcos Tinareli.
Quintas, das 9h30 às 11h.
Acima de 60 anos. 14/12, quinta, das 9h30 às 11h. Polo Avançado do Sesc (Sala de Oficinas) – Araçatuba. Grátis.

Oficina
Conhecendo as Mudas de Árvores Nativas - Projeto Tijolinho
Com Associação Amigos dos Mananciais (AAMA)
Atividade que promove o contato do público com conceitos de sustentabilidade e conservação da natureza. Nesta oficina, os participantes terão contato com as sementes e frutos nativos da nossa região como araticum, grumixama, marmelo, marolo, sete capote, abil, coletados pela Associação Amigos dos Mananciais (AAMA).
Dia 14/12, quinta, das 18h às 20h. Dia 16/12, sábado, das 14h às 16h. Sala Múltiplo Uso 4. Livre. Grátis

Oficina
Desenho Narrativo
Com Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula a inspiração será o teatro de sombras. Será criado coletivamente um desenho panorâmico, grande ou pequeno, a partir da silhueta de corpos e objetos, com a intenção de contar uma história, construir uma narrativa.
Dia 14/12, quinta, das 14h às 17h
Dia 14/12, quinta, das 19h às 21h30
Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.

Oficina
Desenho de animais, monstros e formas híbridas
Com Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula, que parte da observação da anatomia animal, os participantes serão provocados a inventarem seus próprios seres fantásticos. Será uma atividade imaginativa de montagem e desmontagem de corpos.
Dia 15/12, sexta, das 14h às 17h
Dia 15/12, sexta, das 19h às 21h30
Sala Múltiplo Uso 2. Livre. Grátis.

Aula aberta
Serigrafia Bruta!
Com Coletivo Laranja Azul
Neste encontro apresentaremos a técnica da serigrafia artesanal usando materiais acessíveis e fáceis de encontrar. A serigrafia é uma técnica te impressão em que se usa a pressão sobre uma tela protegida por uma máscara que veda as áreas onde a tinta não deve imprimir. Fomentando o processo criativo de cada participante vamos elaborar composições em serigrafia e também em stêncil para criar cartazes.
Dia 15/12, sexta, das 19h às 21h30
Sala Múltiplo Uso 1. Livre. Grátis

Vivência
Sintetizador! - uma performance musical
Com Caleb Mascarenhas
Nesta aula performática, Caleb Mascarenhas utiliza sintetizadores analógicos clássicos como o Moog, Korg e Doepfer, entre outros, para improvisar na criação de música eletrônica.
Dia 15/12, sexta, das 18h30 às 21h30
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre, Grátis

Aula aberta
Imprimindo o mundo em azul: oficina de cianotipia!
Com Coletivo Laranja Azul
Cianotipia é um processo fotográfico histórico. Nesta experiência iremos explorar essa forma artesanal de escrever com a luz, criando nossos próprios papeis fotográficos e utilizando o sol para revelar imagens de objetos, plantas, entre outras coisas.
15/12, sexta, das 10h às 13h
Sala Múltiplo Uso 1. Livre. Grátis

Oficina
Bomba de Sementes
Com Associação Amigos dos Mananciais (AAMA)
A oficina propicia  para pais e filhos terem contato com conceitos de conservação da natureza por meio da confecção de bolas de sementes, uma alternativa para quem deseja semear diversas espécies de plantas em áreas de recuperação ou reflorestamento. 
Dia 15/12, sexta, das 18h às 20h
Dia 17/12, domingo, das 14h às 16h
Sala Múltiplo Uso 4. Livre. Grátis

Aula aberta
Conhecendo a gravura em linóleo
Com Coletivo Laranja Azul
Este encontro visa apresentar às crianças a arte da gravura em linóleo de uma forma fácil e divertida. A linoleogravura é similar a gravura em madeira e também usa as goivas como ferramenta, mas por seu suporte ser o linóleo é mais maleável e permite um corte mais "doce".
Dia 16/12, sábado, das 14h30 às 17h30
Sala Múltiplo Uso 1. Livre. Grátis

Oficina
Desenho de modelo-vivo
Com Renato Pera
Oficina que objetiva oferecer uma introdução ao desenho, a partir do desenvolvimento de exercícios práticos e da análise de referências artísticas.  Nessa aula será proposta a prática de desenho de modelo-vivo a partir da observação direta da anatomia humana. As sessões terão modelos que posarão nus, seminus ou vestidos e terão como temáticas, os conceitos de "corpo em movimento" e "corpo e cena".
Dias 16 e 17/12, sábado e domingo, das 10h às 13h
Dias 16 e 17/12, sábado e domingo, das 14h30 às 17h30
Sala Múltiplo Uso 2. Grátis

Passeio
Birigui Postais: fotografando a cidade
com São Paulo Postal
Um tempo para contemplar os lugares por onde passamos podem despertar novos interesses sobre onde vivemos. Esse passeio se divide em dois momentos: uma saída fotográfica, a pé, e uma oficina no Sesc, para confecção de postais a partir das fotos obtidas durante o passeio. Com grupo São Paulo Postal. O ponto de encontro para a saída no início da atividade será no Espaço de Convivência.
Dias 16 e 17/12, sábado e domingo, das 10h30 às 10h40
Dias 16 e 17/12, sábado e domingo, das 13h30 às 15h30
Área de Convivência. Livre. Grátis

Bate-papo
Viagem pelo próprio espaço
com Gaia Passarelli
Bate-papo com a jornalista Gaía Passarelli, autora do livro "Mas você vai sozinha?", no qual narra algumas de suas vivências de viajante pelo mundo. Nesse bate-papo, a escritora falará sobre um outro modo de viajar, a partir do despertar do olhar sobre um território familiar, que muitas vezes não reparamos. O desafio é exercitar o olhar turístico sobre a própria região em que moramos.
Dia 16/12, sábado, das 16h às 17h30
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis

Oficina
Brincar de Chuva
Com Coletivo Laranja Azul
Esta oficina para pais e filhos tem como objetivo fomentar a percepção musical e estética de um instrumento feito de modo artesanal e ancestral.  O pau de chuva originalmente vem do Chile através dos rituais xamânicos, feitos para a conexão entre o ser humano e a natureza. Vamos aqui, brincar com esse fazer artesanal e também com a experiência sonora e corporal proveniente do som e movimentação do instrumento produzido. Uma interação entre pais e filhos através do fazer.
Dia 16/12, sábado, das 10h às 13h
Sala Múltiplo Uso 1. Livre. Grátis

Oficina
Breve Introdução à Música Eletrônica
Com Caleb Mascarenhas
Esta oficina de musica eletrônica apresenta técnicas e tecnologias que influenciam o processo criativo de seus trabalhos, passando por aspectos históricos e conceitos específicos dentro do universo da cultura digital. Serão apresentados de maneira prática o funcionamento dos equipamento e recursos disponíveis para criação musical e performances ao vivo.
Dias 16 e 17/12, sábado e domingo, das 10h às 13h
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis

Oficina
Encadernação de caderninhos
Com Coletivo Laranja Azul
Nesta oficina, iremos produzir cadernos em pequeno formato para tê-los sempre a mão! As técnicas artesanais apresentadas serão a encadernação japonesa e a de três pontos, suas técnicas muito fáceis e que os participantes poderão reproduzí-las em casa sempre que quiserem.
Dia 17/12, domingo, das 14h30 às 17h30
Sala Múltiplo Uso 1. Livre. Grátis

Oficina
Viagem pelas palavras: construindo histórias
com Gaia Passarelli
A partir da imaginação e do resgate de memórias, nessa oficina, conduzida pela escritora Gaia Passarelli, o público construirá um conto de viagem.
Dia 17/12, domingo, das 16h às 17h30
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis

8.12.17

Os bonecos estão derretendo na praça

Folha da Região
Figuras de bonecos de gelo na Praça Rui Barbosa, Araçatuba-SP
Escrevi sobre figuras de bonecos de gelo dependurados em postes, enfeitando Araçatuba, no fim do milênio passado ou no início deste. E voltamos aos erros.

Se o capeta não aguenta o calor de nossa cidade, some, dizendo que o inferno é mais fresco, imagine bonecos de gelo... E Birigui não é diferente.

Lógico que a Lapônia, país do Papai Noel, fica no Polo Norte, muito gelo, e importamos o bom velhinho de lá, mas se fazem necessárias adaptações, praticar a antropofagia cultural. Ainda mais que as alegorias foram construídas com materiais reciclados. 
Figuras de bonecos de gelo na Praça Dr. Gama, em Birigui
Enfeitar a praça principal da cidade na época de Natal sempre deixa a população mais satisfeita, faz parte de nossa tradição. 

Se antes, os araçatubenses mais festeiros ficavam elogiando a iluminação da praça de Birigui, agora Araçatuba tem a praça Rui Barbosa iluminada, enfeitada, mas não deixemos aqueles bonecos de gelo debaixo desse calorão. E o mesmo acontece em Birigui. Será que foi a mesma empresa autora de tal proeza?

Como não estou aqui para malhar ninguém, são pequenas falhas, com certeza, tudo vai melhorar em 2018. Dias melhores virão.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Membro da Academia Araçatubense de Letras

Araçatuba quer exterminar a pomba da paz


Hélio Consolaro* 

A Câmara Municipal de Araçatuba votou projeto do vereador Jaime José da Silva (o Dr. Jaime) e o prefeito Dilador Borges sancionou, tornando proibida a alimentação de pombos em lugares públicos e privados.  Lei 8.016/2017. 
 -------------------------------
Noé, o cara da arca, que salvou todos os animais do dilúvio, quando a água baixou, soltou um pombo para verificar como foi a a tragédia, ver a situação da Terra. E a pomba (ou o pombo) voltou com um ramo de oliveira no bico, um sinal de que o planeta estava salvo. 

Assim, a pombinha banca, com um raminho no bico passou a ser o símbolo da paz no judaísmo e no cristianismo. Símbolo do Espírito Santo.  

Naquela época, conhecia-se a realidade pela observação direta, o empirismo não havia virado cientificismo. Hoje, com o desenvolvimento das ciências, descobrimos que aquele animalzinho tão delicado é ofensivo ao ser humano, chegando a ser classificado de "rato de asas" por um prefeito de Londrina-PR.

Como, com certa arrogância, nos achamos imagem e semelhança de Deus, consideramos que apenas os seres humanos têm o direito à vida. Assim, classificamos os animais em úteis e nocivos, como aprendi lá no curso primário na década de 50. Pau, pedra, cacetada, tiro, chinelada nos bichinhos necessários ao ecossistema. 

E o pombo, de símbolo da paz, protagonista, personagem do bem, está passando a ser o bandido da história (nocivo). Está parecendo o Bentinho no livro "Dom Casmurro", de Machado de Assis.

Confesso que não tolero pombo no forro de minha casa, exerço o meu antropocentrismo. Não mato pombos, nem esses importados, vindos da Europa. Tais pássaros são os invasores de nosso ecossistema, não possuem predadores, então temos que assumir esse papel.  Gosto da pomba-rola, fogo-apagou, a nativa, a famosa rolinha.   

Nessa situação atual do Brasil em que o ódio invadiu nossas relações, fico com o pé atrás, querendo defender a paz, a pomba branca com raminho. Mas também sei que muitos alimentadores de pombas nas praças públicas são a favor da pena de morte para o ser humano.

Então, caro leitor, estou numa indecisão. Estado mental horrível. A gente vai ficando velho e amolece o coração. Gosto da pomba, pusemos nela a máscara da paz, mas gosto mais de mim. Dizem por aí que as pombas vão cagar na cabeça do Dr. Jaime. Ele que se cuide...  

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Membro da Academia Araçatubense de Letras

7.12.17

Contadora de histórias Kiara Terra é atração no Sesc Birigui

A artista e escritora realiza intervenção ao lado do fotógrafo Leonardo Neri no sábado (9) e no domingo (10)


Inspirados nos fotógrafos das festas juninas do interior do Nordeste das décadas de 1920 e 1930, o fotógrafo Leonardo Neri e a narradora de histórias Kiara Terra montarão no Sesc Birigui um pequeno estúdio, que servirá de cenário para fotografias e histórias narradas por Kiara e contadas também pelo público presente. A atração, que leva o nome Uma Lembrança para Aquecer os Corações, fica no Espaço de Brincar nos dias 9 e 10, sábado e domingo, das 15h às 16h30, e é gratuita. 

Kiara Terra é uma das referências brasileiras na contação de histórias. Formou-se em Teatro no Célia Helena Teatro-escola e Comunicação das Artes do Corpo na PUC-SP. É escritora (“A Menina dos Pais Crianças”, editora Ática; “Hocus Pocus: um pai de presente”, Cia das Letras). Em 1998, criou o método de narração chamado A História Aberta, que são narrativas colaborativas que estimulam a participação do público. Escuta e técnicas de improvisação são os principais recursos desse modo de narrar. Ele tem se tornado um instrumento pedagógico na formação de professores e para espaços de mediação de obras de arte, museus e exposições. 


Leonardo Neri é formado em cinema pela Universidade Federal Fluminense e pelo Instituto Politécnico de Artes Cinematográficas da Universidade de Paris VIII, e trabalha com captação de imagens há 30 anos. Morou em Paris nos anos 80, trabalhou como repórter cinematográfico para NHK, CANAL +, Tele Hachette. Com a retomada do Cinema brasileiro nos anos 90, ingressou na indústria cinematográfica, indo de foquista a diretor de fotografia na produção de imagens, para longas, curtas, comerciais, programas de TV e clips, para diversas produtoras (Videofilmes, Conspiração, Yes, Jodaf, Giros, TV Zero, Proview, Filmes do Serro, Tibet Filmes) e canais de televisão (TV Globo, GNT, Multishow, Canal Futura, Sportv). Desenvolve trabalhos como diretor de fotografia para a Multirio.


A criançada pode se divertir com várias outras atividades neste mês de dezembro. 


Confira a programação das próximas atividades:

Uma Lembrança para Aquecer os Corações - Com Leonardo Neri e Kiara Terra

Inspirados nos fotógrafos das festas juninas do interior do Nordeste das décadas de 1920 e 1930, o fotógrafo Leonardo Neri e a narradora de histórias Kiara Terra montarão no Sesc Birigui um pequeno estúdio, que servirá de cenário para fotografias e histórias narradas por Kiara e contadas também pelos transeuntes.
 
Dias 9 e 10/12, sábado e domingo, das 15h às 16h30. Espaço de Brincar. Livre. Grátis.

Para todos os seguintes -
Ambientado no universo da mágica, o trabalho convida as crianças a mergulharem na intensidade da dança. Os integrantes dançam, criando encontros e efeitos, ao som da guitarra. Com Key Zetta e Cia.
Dia 10/12, domingo, das 17h às 18h, no Teatro. Livre.
Gráti
s.

A Princesa Errante e o Príncipe Errado
Desencaixados das expectativas sociais, um príncipe e uma princesa serão unidos pelo destino em uma jornada que questiona as histórias que contamos e os paradigmas de felicidade. Com Cia Auspiciosa.
Dia 17/12, domingo, das 17h às 18h, no Teatro. Livre.
Grátis.

 

Sesc Birigui realiza evento sobre Educação Integral e Cidades Educadoras - Escola da Ponte

Ciclo Educar Hoje acontece nesta quinta (7), com o educador português José Pacheco e a jornalista Júlia Dietrich

Pacheco é Pedagogo, especialista em Leitura e Escrita, mestre em Ciência da Educação 

A Educação é um tema fundamental para o Sesc. Nesta quinta, 7, às 19h30, o Sesc Birigui realiza o "Ciclo Educar Hoje - Educação Integral e Cidades Educadoras", evento que propõe a reflexão e um olhar para a educação, centrada no ser, em sua multidimensionalidade. Para a abordagem do tema, estarão presentes o educador português José Pacheco e a jornalista Julia Dietrich. A atividade é gratuita e acontece no Teatro.

Pacheco é pedagogo, especialista em Leitura e Escrita, mestre em Ciência da Educação pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto; é também Fundador da “Escola da Ponte”, em Portugal, referência mundial de sucesso em inovação pedagógica, com um projeto educativo baseado na autonomia dos estudantes. Foi membro do Conselho Nacional de Educação de Portugal, coordenador do “Educação para Todos” projeto de 2001/2004, desenvolvido pelo Instituto Paulo Freire. É autor de inúmeros livros e artigos sobre educação e indutor de mais de 100 projetos para uma nova educação no Brasil. Na EcoHabitare é Coordenador Pedagógico dos Projetos de Formação. 

Julia é jornalista formada pela PUC-SP e atuou em diferentes organizações sociais em São Paulo. Em 2008, foi Gestora de Programas na Village Exchange International, organização internacional para saúde reprodutiva, sexualidade e empoderamento feminino em Ho, cidade de Gana, no oeste africano. Hoje, é gestora do Programa Centro de Referências em Educação Integral, uma iniciativa da Associação Cidade Escola Aprendiz, em parceria com outras organizações não governamentais e com o apoio da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que promove a pesquisa, o desenvolvimento, aprimoramento e difusão gratuita de referências, estratégias e instrumentais que contribuam para a formulação, gestão e avaliação de políticas públicas de Educação Integral no Brasil.

O ciclo Educar Hoje, além de comemorar os 30 anos do Programa Curumim (projeto socioeducativo do Sesc São Paulo para crianças de 7 a 12 anos), pretende ainda difundir os conceitos de Educação Integral e Cidades Educadoras, dialogar com os atores locais e promover uma reflexão acerca de novas possibilidades na educação. "A Educação, muitas vezes, é compreendida como algo inerente à família e à escola, mas, cada vez mais se reafirma a importância de todos os sujeitos na formação de uma criança. Afinal, a educação se dá nas relações, nas trocas, nos encontros", afirma Maria Clara Pontoglio, técnica de programação do Sesc Birigui. 

Serviço
Ciclo Educar Hoje - Educação Integral e Cidades Educadoras
Dia 7, das 19h30 às 21h30
No Teatro do Sesc Birigui 
(Rua Manoel Domingos Ventura, 121, Vila Xavier, Birigui)
Informações: (18) 3649-4786
Grátis

6.12.17

Espetáculo que retrata universo do cangaço será apresentado no Sesc de Birigui nos dias 8 e 9 de dezembro

"CABRAS - Cabeças que voam, cabeças que rola", da Cia. Balagan, coloca o Nordeste como tema


"A cabra é o melhor instrumento/ de verrumar a terra magra/ Por dentro da terra e da seca/ Nada chega onde chega a cabra". Nas palavras de João Cabral de Melo Neto, o sertanejo é semelhante à cabra. O homem que vive na caatinga vive a caatinga, sua sobrevivência é salvaguardada tão somente por sua profunda ligação com a natureza, na lida com os bichos, no enfrentamento das secas. 

No espetáculo “CABRAS - cabeças que voam, cabeças que rolam”, que será apresentado pela Cia. Balagan no Teatro do Sesc Birigui nos dias 8 e 9 de dezembro, sexta e sábado, às 20h, o nordeste e a sua cultura própria, os conflitos externos e parentais permeiam a dramaturgia. A entrada é gratuita, sem necessidade de retirada de ingressos.

A proposta traz um encontro entre a geografia e sobrevivência da caatinga e da alianças, narrados e cantados por vozes humanas, de animais e da natureza (com objetos). A direção é de Maria Thaís e o texto é assinado por Luís Alberto de Abreu. 

O universo do cangaço serviu como porta de entrada para esta investigação sobre as relações que se dão através da batalha, do encontro com inimigo, da vingança, da insubmissão ao Estado e da criação de outros governos, com suas próprias leis regidas, não pelo papel, mas pela solidez da palavra proferida. 

GRUPO
Em 1999, a Cia. Balagan estreou nos palcos com Sacromaquia. Desde então foram criadas outras seis obras: A Besta na Lua (2003/ 2004), Tauromaquia (2004/ 2005/ 2006), Západ – A Tragédia do Poder (2007), Prometheus – A Tragédia do Fogo (2011 – em repertório), Recusa (2012 – em repertório) e Cabras – cabeças que voam, cabeças que rolam (2016 – em repertório). Os espetáculos receberam indicações e premiações da crítica especializada, circulando por todo o Brasil. Em 2014, a companhia foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial da Cidade de São Paulo (junto a um conjunto de vinte e dois teatros independentes da cidade), por suas atividades de valor cultural referencial para a construção da identidade paulistana.

Serviço
Espetáculo “CABRAS - cabeças que voam, cabeças que rolam”
Com Cia. Balagan 
Dias 8 e 9 de dezembro, às 20h 
No Teatro do Sesc Birigui 
(Rua Manoel Domingos Ventura, 121, Vila Xavier, Birigui)
Informações: (18) 3649-4786
Grátis

Dança Araçatuba - programação


Araçatuba: Natal iluminado - programação


Começa, nesta quinta-feira (07), a programação cultural do Natal Iluminado. Diversas apresentações acontecerão até o dia 23, e prometem emocionar e envolver toda a população.
De acordo com a secretária Tieza, as atrações irão enfeitar ainda mais as comemorações natalinas, que já estão sendo realizadas, como o Papai Noel e a decoração na Praça Rui Barbosa e no Calçadão. Segundo ela, “esta data é muito importante e linda, pois tem um significado especial, de amor, respeito, cuidado e renovação”.
Toda a programação será no Coreto da praça Rui Barbosa, com exceção das seguintes datas:

07 a 23/12 (segunda à sexta das 08h às 11h; das 14h às 17h; e das 19h às 22h. Aos sábados: das 09h às 12h), no Museu Araçatubense de Artes Plásticas (MAAP): exposição de presépios (entrada gratuita)
08/12 (sexta-feira), a partir das 19h30, na Rua do Fico, esquina com a Antônio Gomes do Amaral: Taikô – da Associação Cultural Nipo Brasileira; Orquestra Municipal “Bruno Zago” e Fanfarra da Associação FAMA.
15/12 (sexta-feira), a partir das 20h, na praça Independência – Rua Marcílio Dias: Orquestra Municipal “Bruno Zago”; Fanfarra da Associação FAMA e Taikô – da Associação Cultural Nipo Brasileira.
17/12 (domingo), às 10h, no asilo São Vicente: Orquestra Municipal “Bruno Zago”.
Programação no Coreto da Rui Barbosa (sempre às 20h, com exceção dos dias 16 e 23/12):
07/12 (quinta-feira): Projeto Guri e Balé Municipal.
12/12 (terça-feira): Orquestra e Coral In Cantus.
13/12 (quarta-feira): Orquestra Jovem de Repertório Livre.
14/12 (quinta-feira): Neila Fontão & Cantata Strings.
15/12 (sexta-feira): Coral da APEOESP.
16/12** (sábado), às 11h: Coral Amigos pelo Canto Araçatuba; Coral Cantar é Viver Birigui.
18/12 (segunda-feira): Coral Amor e Cuidado, da Igreja PIB
19/12 (terça-feira): Neila Fontão & Coro Feminino
20/12 (quarta-feira): Coral Madrigal Paralellus
21/12 (quinta-feira): Coral Pão e Lírio, da Paróquia Santo Antônio
22/12 (sexta-feira): Coral da Igreja Ágape
23/12** (sábado), às 11h: Orquestra Municipal “Bruno Zago”

5.12.17

Em Birigui, destaques da programação cultural do Sesc de 4 a 10/12

Cia. Balagans, cantor Otto, Kiara Terra e Key Zetta e Cia. estão entre os destaques da semana


Shows e espetáculos

TROVADORES DO MIOCÁRDIO CONVIDA OTTO
O espetáculo cria uma experiência sensorial com a fusão de música e poesia. A partir das letras de músicas sobre desilusões amorosas, os integrantes elaboraram poemas, trechos de prosa poética e recitam de maneira performática. O grupo recebe a participação do cantor Otto.  
Dia 6/12, quarta, das 20h às 21h30, no Teatro. 12 anos. Grátis

CABRAS - CABEÇAS QUE VOAM, CABEÇAS QUE ROLAM
O nordeste e a sua cultura própria, os conflitos externos e parentais permeiam a dramaturgia. Com Cia. Balagan.
Dias 8 e 9/12, sexta e sábado, às 20h, no Teatro. 12 anos. Grátis.  

SARAU DOS REFUGIADOS
O grupo criado em 2016, no Brasil, é formado por refugiados da República Democrática do Congo, Haiti, Colômbia, Síria e Palestina. Os integrantes apresentam poesias, música e danças originárias dos seus países. 
Dia 9/12, sábado, das 17h às 18h, na Área de Convivência. Livre. Grátis.

UMA LEMBRANÇA PARA AQUECER OS CORAÇÕES - COM LEONARDO NERI E KIARA TERRA
Inspirados nos fotógrafos das festas juninas do interior do Nordeste das décadas de 1920 e 1930, o fotógrafo Leonardo Neri e a narradora de histórias Kiara Terra montarão no Sesc Birigui um pequeno estúdio, que servirá de cenário para fotografias e histórias narradas por Kiara e contadas também pelos transeuntes. 
Dias 9 e 10/12, sábado e domingo, das 15h às 16h30. Espaço de Brincar. Livre. Grátis.
  
A VOZ DAQUELE CANTO 
O grupo Clariô e as Cantadeiras Clarianas trazem um recorte de seu repertório de teatro e música no espetáculo “A Voz Daquele Canto”. Cenas e cantorias que debatem e questionam as condições de sobrevivência da população negra e periférica brasileira. Dia 10/12, domingo, das 11h às 12h, no Teatro. Livre. Grátis. 
  
PARA TODOS OS SEGUINTES
Ambientado no universo da mágica, o trabalho convida as crianças a mergulharem na intensidade da dança. Os integrantes dançam, criando encontros e efeitos, ao som da guitarra. Com Key Zetta e Cia. 
Dia 10/12, domingo, das 17h às 18h, no Teatro. Livre. Grátis.

Diversidade Cultural - MOÇAMBIQUE ESTRELA-GUIA 
Cortejo de ritmos e dança ligado à ancestralidade africana. Com grande influência de Moçambique e Gana, o ritmo é o Moçambique, manifestação popular no movimento de resistência que representa a cultura afro-brasileira no congado mineiro. 
Dia 10/12, domingo, das 12h às 13h, no Quintal/Gramado. Livre. Grátis.


Exibição de filme

AQUARIUS
Brasil | 2016 | 145 min | Ficção | 16 anos | Dir. Kleber Mendonça Filho. | Com Sonia Braga.
Uma jornalista aposentada recebe pressão de uma construtora que quer demolir o edifício após comprar quase todos os apartamentos por mais que tenha deixado claro que não pretende vendê-lo. 
Dia 5/12, terça, das 20h às 22h, no Teatro. 16 anos. Grátis.


Oficinas, aulas abertas e vivências

OFICINA DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS
Além de apresentar um panorama histórico da produção de HQs no Brasil e no mundo, o curso analisa publicações diversas do gênero. Também são propostos exercícios utilizando o trabalho com luz e sombra. Com Caeto e Ulisses Garcez. 
Dia 5 e 6/12, terça e quarta, das 14h às 18h, na Sala de Múltiplo Uso 2. 12 anos. Grátis. Inscrições na Central de Atendimento. Vagas limitadas. 

BRINQUEDA-RIA! FORMAÇÃO NA ARTE DE FAZER BRINQUEDOS
O curso propõe o estudo das brincadeiras e dos brinquedos e reúne teorias da infância e atividades práticas utilizando diversas técnicas. A ideia é explorar a importância do fazer manual para manter vivas as memórias e as tradições da infância através dos brinquedos populares. Com Natasha Faria.
Dia 5 a 7/12, terça a quinta, das 19h às 21h30, na Sala de Uso Múltiplo 1. Atividade para maiores de 16 anos.  Grátis. 

TECNOLOGIA DO TEMPO DA VOVÓ
Oficina para o público acima de 60 anos que propõe o resgate das técnicas e fazeres manuais. Para a produção de uma almofada para alfinetes e de uma sacola, os participantes praticam as técnicas da costura manual e da costura à máquina. Com Julia Coelho Brandão.
Dia 8/12, sexta, das 14h30 às 17h30, na Sala de Uso Múltiplo 1. Livre. Grátis.
 
TURBANTES DO CONGO 
Oficina de turbantes ministrada por Sylvie, da República Democrática do Congo, que reside no Brasil em situação de refúgio e compartilhará técnicas da cultura do turbante de seu povo. 
Dia 9/12, sábado, 10h, 14h e 16h, na Convivência. Livre. Grátis.

MONTANDO UM ÓCULOS DE REALIDADE VIRTUAL EM PAPELÃO - CARDBOARD
Os participantes constroem e customizam seu próprio óculos de realidade virtual, a partir do modelo criado pelo projeto Google Cardboard, e podem experimentar aplicativos gratuitos que completam a experiência. Com Dek Wilde.
Dia 9/12 e 10/12, sábado e domingo, das 14h às 17h, no Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). Livre. Grátis.

DRONELAB - CRIANDO O PRÓPRIO DRONE
Os participantes montam seus próprios drones a partir de elementos simples, oferecendo a oportunidade de interagir com um componente de uma tecnologia atual e se aproximar de áreas como programação e eletrônica. Com Odair Bonin.
Dia 9 a 10/12, sábado e domingo, das 10h à 13h, no Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). 16 anos. Grátis. 

PUSH START- UM PASSEIO PELA HISTÓRIA DOS VIDEOGAMES
O público pode jogar videogames antigos, lançados entre o final da década de 1970 e o início dos anos 2000, com os consoles originais. A atividade tem por finalidade fazer os mais velhos relembrarem os jogos clássicos e os mais jovens experimentarem consoles e jogos que talvez tenham ouvido falar ou visto na internet. 
10/12, domingo, das 10h à 18h, no Espaço de Tecnologias e Artes (ETA). 12 anos. Grátis. 


Exposição

EXPOSIÇÃO (RE)INVENTAR – ARTISTAS CRIADORES
A exposição exibe parte do acervo do Museu Casa do Pontal, do Rio de Janeiro, com destaque para obras de 21 artistas inventivos. A mostra dialoga com a criatividade e seu poder de transformar a vida, apresentando artistas das camadas populares que inventam mundos imaginários e os compartilham conosco por meio de suas esculturas e modelagens.
Até 25/3 - terças a sexta, das 13h às 21h30; sábados, domingos e feriados, 9h30 às 18h30, na Sala Múltiplos Uso 3. Livre. Grátis.

Palmeirinha, Verdim, Valentim

Essa ocupação, essa armação, está no Bar dos Palmeirenses há anos, onde o profano se mistura ao sacro
Hélio Consolaro*

Nesse primeiro ano de aposentado tomei porre de ver programa esportivo, jogos, qualquer pelada televisionada, eu estava sentado no sofá. Eu tinha até assinatura Première para completar a insanidade. Vi quase todos os jogos da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2016. 

Com esse acompanhamento minucioso, pude confirmar que a crônica esportiva deixa muito a desejar, há programas que só ficam no bate-boca e fui percebendo as incoerências cometidas pelos jornalistas.

Os profissionais da crônica esportiva tiram leite de pedras, porque o futebol acontece num retângulo, não permite tanta criatividade. A missão foi mais bem vivida por mim em 2016 porque meu Verdão foi campeão do Brasileirão. Em 2017, sofri muito, porque o Palmeiras perdia, eu não ligava a televisão para ouvir os bocas-rotas falarem mal de meu tikme. Cortei a minha assinatura Premièri. 

As torcidas não ajudam, mas se elas fossem sensatas no momento do emocional coletivo, não teria esse nome. Quando todos os palmeirenses gritavam "volta Cuca", eu timidamente resmungava "Fica Eduardo Batista". Nunca vi volta dar muito certo, nem mesmo no casamento. Tive medo de escrever, recusando a volta de Cuca, até no grupo "Alviverde imponente" do WhatsApp, por medo de apanhar de meus companheiros. Nesse blog, só agora escrevo, porque, como eu previa, o Cuca não deu certo.

Assim, o tão badalado time caiu nas mãos do Alberto Valentim. Fazia algum tempo que não ia assistir assistir ao jogo do Palmeiras no Bar do Nenê, o Bar dos Palmeirenses, vizinho à sede da Mancha Verde. Lá a gente vibra, xinga e chora coletivamente. Lá as classes sociais se juntam. 

Na última rodada do Brasileirão (3/12/2017), eu estava sem première, parecendo um periquito depenado, fui ver o Verdão, ou melhor o Verde, nada, Verdim, para rimar com Valentim, conquistar a vice-liderança no Bar do Nenê. Pouca gente.  Poucos se contentavam com a vice-liderança, mas parece que nem isso seria possível, pois Atlético Paranaense ganhava de 3 a 0 do Verdim.

A que ponto o time chegou, pondo seus torcedores sendo massacrados por corintianos e torcendo no último jogo para Atlético Mineiro e Avaí para, só assim, conquistar a vice-liderança. Eu sabia que o ufanismo de que o Palmeiras ia ser multicampeão era coisa da crônica esportiva entusiasmada, mas não precisava se rebaixar a tanto.   

Quando levantei as mãos para cima, no Bar do Nenê, para agradecer aos céus, pois com a ajuda do Atlético Mineiro e do Avaí, o Palmeiras era vice-campeão, vi uma imagem de papelão de mulher quase nua, bem no alto, com a imagem de Nossa Senhora Aparecida mais abaixo. O lugar reservado às mulheres num ambiente masculino. 

Uma montagem improvisada em que o profano e o sacro conviviam pacificamente (foto desta página). Nunca houve um protesto, pois o povo simples sabe que na vida tudo anda misturado.  

Com essa visão, larguei minha raiva de lado e pensei: "Os corintianos também são filhos de Deus e merecem ter suas alegrias". A convivência e a tolerância precisam existir também no futebol. Nós, palmeirenses, precisamos calçar os chinelos da humildade em 2018. Quem se exaltou em 2017, acabou sendo humilhado.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Membro da Academia Araçatubense de Letras

Coronel lança livro nesta sexta-feira sobre gestão de pessoas e superação de desafios


Obra usa grande operação policial para tratar sobre diversos temas

Aceituno Jr.
Coronel Manoel Messias Mello: “O livro é uma lição de confiança, resiliência e determinação consigo mesmo”

Marcele Tonelli - Jornal da Cidade - Bauru (texto adaptado)

Técnica, experiência e equilíbrio são as três regras básicas quando o assunto é gestão de pessoas. Agora, imagine como seria coordenar mais de 2 mil homens, entre policiais militares, oficiais de justiça e agentes públicos em uma operação extremamente delicada. Esta é a experiência relatada nas 256 páginas do livro "Simbiose com você mesmo: como vencer desafios", do coronel da Polícia Militar aposentado Manoel Messias Mello, que comandou a reintegração de posse conhecida como Pinheirinhos e é associado ao Lions. A obra será lançada nesta sexta-feira (28), às 19h30, na Livraria dos Amigos, na av. Luís Peeira Barreto, 725- Araçatuba-SP.

Se você tiver alguma dúvida a respeito da Operação Pinheirinho em São José dos Campos, compareça e pergunte ao coronel (Blog do Consa).

Em paralelo com detalhes da operação, realizada em 2012, em São José dos Campos, o coronel explica no livro como buscou no cognitivo as técnicas de planejamento estratégico, de gestão estratégica e de como elaborou planos de ação, comunicação estratégica e sincronismo para cumprir o desafio. Situações que consideraram ainda fatores humanos como o equilíbrio comportamental, mental e emocional para lidar com os problema antes, durante e depois da operação.

Se você tiver alguma dúvida a respeito da Operação Pinheirinho em São José dos Campos, compareça e pergunte ao coronel (Blog do Consa).

"Considero como um caso de sucesso, porque não houve nenhuma vítima. Todas as acusações, nesse sentido, que foram feitas na Justiça, caíram por terra. Hoje, essas pessoas moram em condomínios do Minha Casa Minha Vida lá", comenta o coronel Messias.
A reintegração do Pinheirinhos envolveu 7 mil famílias e ficou conhecida como uma das maiores do tipo na América Latina. Além das tomadas de decisões, o autor também cita na obra a chuva de críticas que recebeu posteriormente e como lidou com o fato. "É como um processo de realimentação dentro da gestão. O que aprendemos e como não repetir. O livro é uma lição de confiança, resiliência e determinação consigo mesmo para enfrentar os desafios cotidianos", reforça.

Formado em direito pela ITE, o coronel é doutor em ciências policiais de segurança e ordem pública. Ele iniciou sua carreira na PM em 1980 e aposentou-se em abril de 2012. Atua, hoje, como consultor de empresas e palestrante.

SERVIÇO
O lançamento do livro ocorre na sexta-feira, às 19h30 na Livraria dos Amigos, av. Luís Pereira Barreto, 725 - Araçatuba. A entrada é gratuita.

3.12.17

Sesc traz exibições regulares de cinema e vídeo para Birigui

 Além dos filmes para público adulto, há também longas direcionados às crianças
"Aquarius", "O Menino e o Mundo", "Uma Viagem Extraordinária" e "Branco Sai, Preto Fica"

Birigui e região ganham uma nova sala para exibições de cinema e vídeo permanentes. Todas as quintas, às 20h, o Teatro do Sesc Birigui recebe produções nacionais e internacionais que contemplam o cenário cinematográfico popular e contemporâneo. As crianças não ficarão de fora; haverá espaço para exibições infantis. E, o melhor, todas as sessões serão gratuitas. 

A programação de dezembro contempla o polêmico filme Aquarius, produção brasileira selecionada para a mostra competitiva do Festival de Cannes, em 2016, que conta com Sonia Braga no elenco. O filme será exibido no dia 5. Outro longa brasileiro ganhará as telas no dia 12: Como os Nossos Pais, de 2017, com direção de Laís Bodanzky. A próxima produção a ser exibida, no dia 19, também do Brasil: Branco Sai, Preto Fica, filme que aborda a segregação da periferia em Brasília. O assunto instiga o cineasta Adirley Queirós, que já havia trabalhado em torno da temática em A Cidade é uma Só?, de 2013. Dia 26 é a vez de Tatuagem, de Hilton Lacerda, que traz assuntos densos.  

No bloco das exibições infantis estão as animações O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes e o festejado O Menino e o Mundo, do Diretor Alê de Abreu, um dos  cinco indicados ao Oscar na categoria melhor filme de animação, em 2016, no dia 23; O Homem da Lua e Uma Viagem Extraordinária, ambas ficções francesas, serão exibidas no dia 30.

Confira a programação completa:
AQUARIUS
Brasil | 2016 | 145 min | Ficção | 16 anos | Dir. Kleber Mendonça Filho. |  Com Sonia Braga.
Uma jornalista aposentada recebe pressão de uma construtora que quer demolir o edifício após comprar quase todos os apartamentos por mais que tenha deixado claro que não pretende vendê-lo. 
Dia 5/12, terça, das 20h às 22h, no Teatro. 16 anos. Grátis

COMO NOSSOS PAIS
Brasil | 2017 | 102 min | Ficção | Dir. Laís Bodanzky | Com Maria Ribeiro e Clarisse Abujamra.
Uma mulher precisa desenvolver sua habilidade materna, manter seus sonhos e enfrentar as dificuldades no casamento, além de lidar com a mãe.
Dia 12/12, terça, das 20h às 22h, no Teatro. 14 anos. Grátis

BRANCO SAI, PRETO FICA
Brasil | 2015 | 93 min | Ficção | Dir. Adirley Queirós. Tiros em um baile na periferia de Brasília ferem dois homens. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido. 
Dia 19/12, terça, às 20h, no Teatro. 12 anos. Grátis

TATUAGEM
Brasil | 2013 |110 min | Ficção | Dir. Hilton Lacerda.
A vida do líder de um grupo de teatro muda quando ele conhece um soldado e inicia um relacionamento com ele. Eles precisarão lidar com a repressão no meio militar em plena ditadura. 
Dia 26/12, terça, das 20h às 22h, no Teatro. 16 anos.Grátis

Exibições infantis

O GRILO FELIZ E OS INSETOS GIGANTES
Brasil |2009 | 82 min | Ficção | Animação |  Dir. Walbercy Ribas e Rafael Ribas. O Grilo Feliz tem seus planos alterados com a descoberta de fósseis de insetos. 
Dia 23/12, sábado, das 11h, no Teatro. Livre. Grátis

O MENINO E O MUNDO
Brasil | 2014 | 85 min | Ficção | Animação | Dir. Alê Abreu
da falta de trabalho, o pai abandona o lar e parte para a cidade grande. Seu filho pega o trem e vai descobrir o novo mundo em que seu pai mora. 
Dia 23/12, sábado, das 20h às 21h20, no Teatro. Livre. Grátis

O HOMEM DA LUA
Moon man | França |95 min |Ficção | Animação | Dir. Stephan Schesch
O Homem da Lua decide visitar a terra e se agarra em um cometa. Quando chega ao novo planeta, se encanta com as belezas naturais, mas logo descobre que não existe apenas bondade neste local. 
Dia 30/12, sábado, das 11h às 12h35, no Teatro. Livre. Grátis.

UMA VIAGEM EXTRAORDINÁRIA
The Young and Prodigious T.S. Spivet | França | 105 min | Ficção | Dir. Jean-Pierre Jeunet
Um garoto apaixonado por cartografia ganha um prêmio científico e decide abandonar sua família em Montana para atravessar sozinho os Estados Unidos. 
Dia 30/12, sábado, das 20h às 21h45, no Teatro. 10 anos. Grátis