AGENDA CULTURAL

19.6.18

A operadora VIVO está praticando assédio


Lá em casa, como fui cliente da VIVO por uma porção de ano e depois de analisar as melhores condições, mudei de operadora. Isso faz anos.

Agora, caro internauta, não consigo nem dormir direito. Estou lá fazendo minha sesta, afinal, aposentadoria foi feita para desacelerar, os caras me acordam. 

Quem a gente chama? Polícia, bombeiro, ambulância? É melhor apelar  pelo estatuto do idoso, código do consumidor... Socorro! Eles me querem vivo ou morto. 

No telefone fixo, chamam de meia em meia hora e na porta de minha casa todos os dias. Não estou precisando comer com tanta fibra. Já passei carreirão neles, até fui mal-educado, desliguei o aparelho na cara, mas eles insistem. Uma das vozes chegou a me sugerir que procurasse a Anatel.     

Até os agentes de telemarketing acham que a VIVO está cometendo um assédio com seus ex-clientes. 

Teatro do Sesc Birigui recebe espetáculo inspirado em cabarés

Cabaret "Trixmix" mescla números de dança, teatro, música e circo; entrada é gratuita

Na Bele Époque francesa, eram muito comuns os cabarés, espaços de diversão que ofereciam atrações de dança, música, teatro e outros elementos artísticos. Partindo deste ponto da variedade, a Trixmix Produções, de São Paulo, traz ao palco do Teatro do Sesc Birigui seu show “Cabaret Trixmix”, nesta quinta, dia 21, às 20h. A entrada é gratuita e os ingressos começam a ser distribuídos no local às 19h. 

Historicamente, os líderes da União Soviética apoiaram amplamente o circo como uma das formas de arte mais importantes da Rússia. Assim como os espetáculos russos, este cabaré reúne uma grande diversidade de gêneros, como dança, canto, truques mágicos e paródias, além principal expertise russa: a acrobacia.

“O cabaré por definição do dicionário Aurélio é exatamente o que proponho fazer. No caso do Sesc é um pouco diferente, pois não há mesas nem cadeiras e o espetáculo não tem números sensuais e burlescos, mas tem várias linguagens artísticas como o circo, humor, mágica e poesia. Esses são os elementos que compõem um bom cabaré.”, explica a diretora e curadora Raquel Rosmaninho. Os números são alinhavados por um mestre de cerimônias, que dá a tônica de humor ao comando do show e convida a plateia a fazer parte de momentos repletos de surpresa e encantamento.

O elenco conta ainda com com: Alejandro Muniz (mágico, mestre de cerimônias e humor), Cesar Rossi (Roda Cyr e acrobacia), Paulo Maeda e Helder Vilela (acrobacia em dupla e parada de mãos), Ana Paula Eloy (violinista) e Ricardo Cavadas (números cômicos). Segundo a diretora, o espetáculo nasceu como show de variedades que a cada mês mudava totalmente o elenco e o espetáculo. 

Companhia - A Trixmix Produções se dedica à produção artístico-cultural, criação de espetáculos e agenciamento de artistas.  Criada em Londres em 2005 e estabelecida em São Paulo em 2007, já produziu mais de 80 formatos de espetáculos de variedades para diferentes ocasiões. Em seus projetos, já se apresentaram mais de 150 artistas, incluindo circenses, burlescos, atores, bailarinos, ilusionistas e músicos, do Brasil e exterior. 

Entre seus trabalhos realizados, destacam-se as cerimônias de abertura e encerramento da 15ª edição dos Jogos Olímpicos Asiáticos (Doha, 2006), coordenação temática de circo do Fábricas de Cultura (2007-2009), coordenação do programa de circo do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso (2011 -2015), stage managing das cerimônias de abertura e encerramento da Copa do Mundo FIFA 2014, criação e direção do Trixmix Cabaret – espetáculo de variedades, em cartaz de 2007 a 2014 em São Paulo.

Vamos todos para Moscou



Ventura Picasso*

Vou reproduzir um parágrafo, com todo o respeito, de Diego Torres no site do El Pais, palavras de Jϋrgem Klopp (https://brasil.elpais.com/brasil/2018/05/20/deportes/1526815871_633925.html) :

“Creio no estado de bem estar social”, afirmou uma vez ao diário Taz.” Nunca pagarei um plano privado de saúde. Nunca votarei em um partido porque promete baixar impostos. Se há algo que jamais farei em toda minha vida é votar na direita”.

Quem, vinculado ao universo esportivo que vive do futebol profissional no Brasil, poderia fazer um pronunciamento semelhante ao de Klopp?

O Sócrates está morto. Maradona vive...
E começou a Copa de 2018. A inauguração, no jogo da Rússia versus Arábia Saudita, cinco a zero para a russalhada, Putin presidente de todas as Rússias e Mohammad bin Salman, príncipe herdeiro da Arábia Saudita, lado a lado, faziam uma tímida reverencia a cada gol, não sei qual dos dois estava mais constrangido com a goleada.

O fato mais importante que notei na abertura da Copa, sem dúvida, a educação do contingente multirracial, que aplaudiram todas as autoridades presentes no evento. Só aplausos e não vaias.

O Brasil em peso, de amarelo, marca presença em todas as acomodações do estádio, emocionados e alegres, derreteram prazeres, à bela festa soviética.

O terceiro país que mais mandou torcedores para essa Copa, é o mesmo Brasil que foi até 2014, a sexta economia do mundo. 

Os coxinhas brazucas que pagaram R$990,00 por ingresso, na Arena Corinthians em Itaquera, na Copa de 2014, de amarelo estão ali na Rússia. Os mesmos do coral ordinário que entoaram o hino da própria decadência:

“Ei, Dilma, vai tomar no cu”.

Apenas declaração de guerra preconceituosa contra a presidenta mulher. Os machos  peessedebestas, emedebestas e pepessistas/Demos não poderiam viver mais quatro anos sob o governo de uma mulher, que ‘não roubava e não deixava roubar’
Interessante que Putin tem o nome sugestivo.

PUTIN!

Como são todos anticomunistas, imaginei que haveria uma acolhida cafajeste ao ilustre russo. Felizmente não ocorreu.
Conservador e carola Aécio, com sotaque do Triangulo, o “MINEIRIM PUTIM”, virou pó. Não tem nada a ver com o helicoca, é mera coincidência.

Após a destruição do Brasil, os amarelos das minas gerais estão mudando para Portugal socialista. Outros não voltam, ficarão morando em Moscou, entre ‘ateus e comunistas’. A língua falada, como na Espanha, é simples de assimilar e agora que Pedro Sánches, sem bíblia e sem cruz foi empossado pelo rei Felipe VI no cargo de presidente do Governo socialista do (PSOE), os brasileiros fascistas e reaças estão eufóricos para morar na socialista Madrid.

“Creio no estado de bem estar social”, a oração de Jϋrgem Klopp, técnico de futebol do Liverpool, que é livre para defender suas opiniões em todos os campos.

Vamos todos pra Moscou. Vamos ver Tite pular como o gajo português, mas se o Neymar errar o chute...

*Ventura Picasso, fundador do PT no Estado de São Paulo, mora em Araçatuba-SP

16.6.18

Programação do Sesc Birigui - De 19 a 24/6


Vivência de Shantala (1), espetáculo "Cabaré Trixmix" (2), show com Craveiro & Cravinho (3) e oficina de biodigestor (4)

Torneios e campeonatos
Quadrangular de Futsal do Comerciário
Disputa amistosa entre equipes de futsal de empresas do comércio da cidade, oportunizando aos atletas momentos de cooperação e compreensão do esporte como um processo educativo.
De 19 a 21, terça a quinta, das 19h30 às 21h30
Quadra poliesportiva - A partir de 16 anos
Inscrições na Central de Atendimento de 5 a 17/06

Exibição de filme
Leviatã*
Rússia | 2015 | Drama | Dir. Andrey Zvyagintsev
Numa península do Mar de Barents, no Ártico, um pai de família (Aleksey Serebryakov) luta contra os desmandos de um prefeito corrupto. Para enfrentar o político que tenta desalojá-lo, ele recorre a um colega de Moscou.
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”.
Dia 19, terça, às 19h30
Teatro Sesc Birigui
Não recomendado para menores de 14 anos - Grátis - Retirada de ingressos com 1h de antecedência.

Oficina
Gravura e lambe-lambe: em busca de uma mapa russo*
Silvia Ruiz
A oficina propõe a experimentação da técnica de gravura em linóleo para a produção de cartazes lambe-lambe, que irão compor um painel/mapa sociocultural da Rússia.
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”.
De 19 a 22, terça a sexta, das 18h30 às 21h30; e dia 23, sábado, das 10h às 12h
Sala Múltiplo Uso 1
A partir de 14 anos
Grátis - Inscrições pelo Portal Sesc (vagas limitadas). Oficina continuada. Turma única.

Espetáculo
Cabaré Trixmix*
Com Trimix
Historicamente os líderes da União Soviética apoiaram amplamente o circo como uma das formas de arte mais importantes da Rússia. Assim como os espetáculos russos, este cabaré reúne uma grande diversidade de gêneros, como dança, canto, truques mágicos e paródias, além principal expertise russa: a acrobacia.
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”. Dia 21, quinta, às 20h
Teatro Sesc Birigui
Não recomendado para menores de 10 anos
Grátis - Retirada de ingressos com 1h de antecedência.

Oficina
Máquina de Desenho
Com Diogo Cunha
Assim como as famosas máquinas CNCs, impressoras 3D e cortes a laser, a máquina de desenho é uma estrutura baseada em plano X, Y e Z que se comunica a um computador para dar comando aos motores e construir desenhos realísticos feitos em software de vetor. Graduado em Tecnologia em Mecatrônica Industrial no IFSP Catanduva, com complementação em Engenharia Eletrotécnica e de Computação pelo IPCA (Portugal), Diogo Cunha é fundador e professor na DIGO Educação Maker, que fomenta o makerismo e o "faça você mesmo".
Dia 21, quinta, das 14h às 18h30
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA)
Não recomendado para menores de 14 anos - Grátis

Encontro
Estude o ETA! Experimentações, tecnologias e traquitanas 
Convidado: Diogo Cunha
O grupo de estudos do Espaço de Tecnologias e Artes do Sesc Birigui convida artistas, educadores, curiosos e fazedores a experimentar, compartilhar e criar tecnologias e traquitanas a partir das múltiplas ferramentas que o espaço oferece.
Dia 21, quinta, das 19h às 21h30
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA)
Não recomendado para menores de 14 anos - Grátis

Bate-papo
Sementes crioulas: Legado dos povos
Com Oliver Blanco
Sementes crioulas ou da paixão. Este legado biológico e cultural será abordado na atividade, mostrando a importância das sementes cultivadas naturalmente por comunidades tradicionais.
Dia 21, quinta, das 19h às 21h
Sala Múltiplo Uso 2 - A partir de 16 anos
Grátis - Inscrições no local da atividade

Vivência
Shantala
Com Coletivo Pé de Brincadeira
A Shantala é uma massagem de origem indiana aplicada em bebês e crianças de até 2 anos. Os pequenos devem ser acompanhados de um adulto responsável.
Dia 22, sexta, das 18h30 às 19h30
Dia 23, sábado, das 10h30 às 11h30
Sala Múltiplo Uso 2 - Livre - Grátis

Show
Craveiro e Cravinho*
Craveiro e Cravinho formaram dupla no final dos anos 1940, na pequena cidade de Pederneiras, no interior de São Paulo, e contam hoje com quase 70 anos de carreira e 20 álbuns gravados. Tornaram-se referência da música caipira, com canções que até hoje são regravadas pelas novas gerações, como "Franguinho na Panela" e "Cadeira de Balanço".
*O show faz parte do “Festival Mississippi – Tietê”
Dia 22, sexta, às 20h
Área de Convivência
Livre - Todas as idades
Grátis -
Aula aberta

Dança de Salão
Com Alexandre Decares e Francielly Costa
Os dançarinos Alexandre Decares e Francielly conduzem a atividade, que envolve ritmos nacionais e internacionais, ensinando variadas técnicas de dança aos participantes. A ideia é trabalhar aspectos físicos, psicológicos e sociais por meio da troca de experiências. Não requer inscrição prévia.
Dia 22, sexta, das 18h30 às 20h
Quadra poliesportiva
Livre -A partir de 12 anos
Grátis - 
Oficina

Jardinagem
Com Coletivo Pé de Brincadeira
Na oficina, será servido aos participantes um chá degustativo das ervas que serão plantadas por eles em seguida. As crianças devem estar acompanhadas de um adulto responsável.
Dia 23, sábado, das 16h às 17h30
Gramado da Tenda
Livre - De 3 a 6 anos - Grátis

Bate-papo
No Interior da Permacultura: Biodigestor, para plantas e pessoas
Com Fábio Miranda, do Instituto Favela da Paz
No bate-papo, serão discutidas ações do projeto Periferia Sustentável, uma iniciativa que visa orientar e transformar o hábito do consumo da convencional energia empregada nos afazeres domésticos. Serão abordados temas como: a implantação funcional de sistemas de geração e distribuição de Energias Renováveis, como captação da água da chuva e energia solar; sistema biodigestor como fonte geradora de biogás utilizado como gás de cozinha; produção de biofertilizante; e reutilização do lixo orgânico.
Dia 23, sábado, às 14h -Sala Múltiplo Uso 2
Não recomendado para menores de 16 anos - Grátis - Inscrições no local da atividade

Aula aberta
Meu pequeno livro de impressões: Copa do Mundo*
Com Silvia Ruiz
Experimente técnicas de gravura e impressão (stencil, monotipia, frotagem, carimbo) e faça um livrinho de impressões inspirado na Copa do Mundo.
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”.
Dia 23, sábado, das 12h30 às 15h
Sala Múltiplo Uso 1 - A partir de 7 anos
Grátis

Vivência
Recreação em Patinação
O participante traz seus patins, recebe orientações da equipe esportiva e pratica a modalidade. Uso indicado de equipamentos de segurança (capacete, joelheira, cotoveleira), disponibilizados pelo Sesc.
Dias 23 e 24, sábado e domingo, das 15h às 18h - Quadra poliesportiva
Livre - A partir de 6 anos - Grátis

Espetáculo
Íris: Interior e Sinfonia do Adeus*
Com Cia. do Blefe
Os espetáculos integram o conjunto autoral da Cia. do Blefe, que investiga uma prática de treinamento e procedimentos dentro de um processo de criação protagonizado pelo ator-criador.
Interior (com Ed Barba): Um caixeiro viajante traz em suas malas os causos dos nossos vizinhos, as intimidades de nossa terra, do interior do estado de São Paulo. Sinfonia do Adeus (com Eduardo Amaral): Ecos, ressonâncias, reminiscências, fragmentos, cacos de memórias que são colados pelo protagonista e uma delicada história de amor nos é desvendada. Consulte às sinopses e fichas técnicas completas no Portal sescsp.org.br/birigui
*O espetáculo faz parte do projeto Outras Cenas.
Dias 23 e 24, sábado e domingo, às 20h no Teatro Sesc Birigui - Livre
Todas as idades
Grátis - Retirada de ingressos com 1h de antecedência.

Vivência
Quiz esportivo*
Os participantes do jogo irão responder perguntas sobre a Copa do Mundo de Futebol e sobre esporte em geral, além de realizar desafios físicos para conquistar pontos adicionais.
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”.
Dias 23 e 24, sábado e domingo, das 16h30 às 18h
Sala de Ginástica Multifuncional - Livre
A partir de 12 anos
Grátis

Oficina
No Interior da Permacultura: Fazendo um biodigestor
Com Fábio Miranda, do Instituto Favela da Paz
Construção de um sistema biodigestor (BIO 21) com capacidade para produção e armazenamento de biogás e de biofertilizante.
Dia 24, domingo, das 14h às 18h
Sala Múltiplo Uso 1 - A partir de 18 anos
Grátis - Inscrições pelo Portal Sesc (vagas limitadas).

Torneios e campeonatos
Circuito Sesc de Vôlei de Areia
Etapa Monções
Competição amistosa da modalidade para duplas femininas e masculinas com o objetivo de sensibilizar sobre a prática esportiva e integrar as equipes em torno da modalidade que está presente nos Jogos Olímpicos desde Atlanta 1996. Em Monções acontece a quinta etapa do Circuito Sesc de Vôlei de Areia, com o apoio da Prefeitura Municipal e do Sincomércio. Inscrições gratuitas realizadas para duplas masculinas e femininas no local dos jogos.
Dia 24, domingo, das 8h às 19h
Lago Municipal de Monções/SP
A partir de 16 anos - Grátis

Visita monitorada
Rotas da Sustentabilidade 
Com Agente de Educação Ambiental
Visitas mediadas pela Unidade com foco nos atributos relacionados à certificação LEED de construção sustentável, desenvolvidas na Unidade por meio de rotas: Água, Energia, Áreas Verdes. Limite de 15 pessoas por turma.
Atividade realizada através de agendamento de grupos, sujeitos à capacidade das estruturas sustentáveis da Unidade:
Inscrições pelo e-mail: meioambiente@birigui.sescsp.org.br
Quartas e quintas, das 14h às 16h. Exceto dia 27/6 - Área de Convivência
A partir de 10 anos
Grátis

Visita monitorada
Visita ao Teto Verde 
Com Agente de Educação Ambiental
Visita mediada por Agente de Educação Ambiental. Limite de pessoas por turma de acordo capacidade do Teto Verde (15 pessoas). Possibilidade de ser cancelado em caso de chuva.
Inscrições: meioambiente@birigui.sescsp.org.br
Sábados, das 10h às 11h
Terças, das 16h às 18h
Teto Verde - A partir de 12 anos
Grátis - Somente para inscritos a partir de seleção prévia.

A leitura como terapia, a biblioterapia (entrevista, vídeo)

15.6.18

Mágica e música erudita no Sesc Birigui

O artista é bicampeão latino-americano de ilusionismo; espetáculo mistura clássicos de mágica e música erudita. Domingo, dia 17, às 17h, com entrada gratuita 
Prestidigitação é como é chamado o conjunto de técnicas utilizadas pelos ilusionistas para manipular de forma invisível os objetos utilizados em seus truques. A habilidade neste manuseio é um dos quesitos essenciais para que um bom ilusionista deixe a plateia boquiaberta, duvidando se aquilo é mesmo apenas um truque ou se o artista tem algum tipo de poder mágico.

O paulista Caio Ferreira, bicampeão latino-americano de ilusionismo e especialista em manipulação (categoria de efeitos mágicos que envolvem apenas as habilidades manuais do artista) mostrará sua destreza no palco do Teatro do Sesc Birigui. Ele apresenta o espetáculo A arte do ilusionismo no domingo, dia 17, às 17h, com entrada gratuita. Os ingressos começam a ser distribuídos às 16h.

A principal marca de trabalho é a interpretação de clássicos da mágica, acompanhado por música erudita e instrumental. Neste espetáculo, Caio realiza interpretações de efeitos de prestidigitação com temas de Mozart, Chopin, Waldteufel, Rossini e Strauss. Premiada internacionalmente em vários festivais do gênero, a montagem apresenta uma mistura de humor e emoção, a arte da mágica e a boa música.

Algumas das técnicas foram inspiradas na escola de manipulação holandesa, referência da prestidigitação mundial, com nomes como Fred Kaps, Richard Ross, Ger Cooper e Tommy Wonder. Já as trilhas sonoras não cumprem apenas o papel de ilustrar a cena, mas são o ponto de partida para criação do corpo cênico.  

Carreira - Caio Ferreira conquistou o 1° lugar por duas vezes no Campeonato Latino-Americano de Ilusionismo, promovido pela Flasoma (Federação Latino-Americana de Sociedades Mágicas): em 2009, em Lima, Perú, e em 2015, em Montevidéu, Uruguai.  

Foi também o único ilusionista brasileiro na categoria “manipulação” a receber aval para se apresentar na Copa do Mundo da Mágica (World Championships of Magic, na Itália, em 2015), pontuado entre os dez melhores artistas do mundo em sua categoria. 

A programação completa do Sesc Birigui pode ser obtida no Portal Sesc (www.sescsp.org.br/birigui).

Hoje, no Sesc Birigui - música boa

Acompanhado do pianista Dado Tristão, Byblos conta suas impressões da viagem e executa canções que estiveram presentes nas diversas etapas do trajeto


A região Delta do Mississípi, nos Estados Unidos, é eternizada pela memória do nascimento do blues. Até hoje, tem sido procurada por amantes do gênero que, ao visitarem museus, observarem monumentos e passarem por locais por onde transitaram, por exemplo, Robert Johnson, James Cotton, Muddy Waters e Howlin’ Wolf, buscam absorver um pouco da atmosfera musical dos períodos áureos do blues.

O guitarrista e cantor Giba Byblos, de São Paulo, viajou pela chamada Blues Trail (trilha do blues) e transformou suas experiências no show Verde, Amarelo e Blues, que será apresentado nesta sexta, dia 15, às 20h, na Área de Convivência do Sesc Birigui. A entrada é gratuita e não é necessário retirar ingressos antecipadamente.

Acompanhado pelo pianista Dado Tristão, ele conta as impressões da viagem e executa as canções que estiveram presentes nas diversas etapas do trajeto, em New Orleans, Clarksdale, Memphis, Chicago, e outros locais.

Giba já realizou trabalhos com nomes como Shirley King (filha de B.B. King), Jon McDonald, Toronzo Cannon e Jimmy Johnson, costuma fazer shows não só no Brasil, mas também nos Estados Unidos. Seu primeiro álbum solo, “My Duty”, foi lançado no final de 2011. Em 2012, gravou nos EUA o álbum “Brazilian Blues Bash Live at The Delmark House”. O terceiro álbum, “Tomorrow”, foi lançado em 2015. 

Projeto - O show integra a programação do Festival Mississípi Tietê, que entrelaça as origens do blues e da música caipira de viola brasileira, mostrando o que há em comum entre os dois gêneros e ainda o que faz de cada um ser emblemático de uma forma única. 

A programação conta também com os seguintes shows: Craveiro e Cravinho, no dia 22, às 20h, na Área de Convivência do Sesc; Rodrigo Zanc Trio, dia 28, na praça João Pessoa, em Araçatuba, às 20h30; Álamo Leal, dia 29, às 20h, no Teatro do Sesc Birigui. 

Todas as atrações do projeto têm entrada gratuita. A programação completa pode ser obtida no Portal Sesc (www.sescsp.org.br/birigui).

14.6.18

Para que lado o Brasil está chutando?


Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Araçatuba-SP 

Está começando a Copa do Mundo, quando muita gente, que só se interessa por futebol na copa, vai perguntar na frente da TV: o Brasil chuta para que lado? 

Você, caro leitor, pode dizer que eu estou com gozação desatualizada. Não. Não estou enganado. Numa roda masculina, de gente beirando a minha idade, alguém perguntou se o técnico da Seleção Brasileira de Futebol era o mesmo do 7 a 1, se os jogadores eram os mesmos. Expliquei que o clima é outro.

Se a alienação é tamanha no futebol, o esporte do povo brasileiro, imagine como está nas questões políticas.

Estou enfeitando o meu recanto, no fundo de minha casa, de verde amarelo,  chamando familiares para assistir aos jogos do Brasil coletivamente. Pus até o pavilhão nacional no carro. Um amigo me perguntou se eu tinha virado "coxinha", aquele pessoal que gritou "Fora Dilma" e ela está aí ilesa, sem nenhum processo. 

Esse pessoal, "os coxinhas", apesar de ter protestado em passeatas com a camisa da seleção, fazendo de nossas cores e símbolos um instrumento político, tirou o sabor gostoso de os brasileiros sentirem a copa ser realizada aqui.  

Respondi a meu amigo que não ia cair na mesma armadilha da ditadura militar de politizar o verde-amarelo.

Sei que o povo está meio borocoxô, com a situação do país (leia-se desemprego), com todas as frustrações, parece que a torcida não terá tanto entusiasmo, mas precisamos calçar as chuteiras. 

Afinal, faz-se necessário encontrar alguma coisa em torno da qual  todos se unam, independente da coloração política de cada um, que seja o futebol.  

13.6.18

O dia carece de valor - somos uma mentira?

 

Hélio Consolaro é professor, jornalista, escritor. Membro das academias de letras de Araçatuba-SP, Andradina-SP e Itaperuna-RJ

Recebo sempre pelo Whatsaap, Messenger, Facebook mensagens de "bom-dia!", "Um dia ótimo para você", e assim por diante, querendo valorizar ainda mais o dia a ser vivido.

Provavelmente, emissores de tais mensagens passaram por dificuldades extremas na vida, quase a perdendo, daí a necessidade de louvar cada dia vivido.  

Não desprezo tais mensagens, mas elas não me fazem falta. Talvez, eu não tenha a sensibilidade de compreendê-las. Apesar de não ser ateu, sou místico, não fico dizendo o nome "Deus" por todos os dias, não uso seu nome em vão.

Lendo o livro "Tempo de migrar para o norte", do escritor sudanês Tayeb Salth, depois de muito caminhar pelo deserto, o narrador, diante dos dias tórridos disse: "Aqui o dia carece de valor" para se chegar até a noite, a salvação dos caminheiros. Para eles, cada dia não é apenas um número no calendário, é ter vivido mais um pouco, sobrevivido às agruras.

Acordar de manhã, puxar o fôlego, não é igual para todos os seres humanos. Alguns agradecem por mais um dia a ser vivido; muitos pensam apenas nas obrigações a serem feitas, nem sabem porque vivem; outros maldizem que ainda estejam vivos. 

Nunca conseguimos desprender de nosso intelecto, ele vive martelando o dia inteiro a nossa cabeça e na noite ressurge de forma ilógica pelos sonhos; talvez sejamos uma mentira, a gente aparece e desaparece e os pensamentos só serviram para a gente passar o tempo, mas como escreveu  Tayeb Salih, que nossas mentiras sejam fabricadas por nós mesmos. 

Valorizar o dia, viver o agora, não ficar apenas olhando para o passado, nem esperar muito do futuro. Talvez seja essa postura ideal do caminheiro pelo deserto da vida. 


11.6.18

Políticos no cio


Hélio Consolaro*

Eleição, em qualquer nível: municipal, estadual ou federal, significa políticos no cio. O candidato vai na frente e o povo vai atrás como cachorros seguindo a cadelinha. Cioso por votos. Quando não, os assessores, futuras despesas ao erário público, em caso de vitória.

Em ano eleitoral, os políticos ficam vivazes, arrumam jeito para juntar eleitores, montar palanque. Ainda mais nestes tempos em que dizer que é candidato é quase um crime.

O presidente da Câmara de Araçatuba, Rivael Papinha (PSB), tratou de montar festividades para comemorar os 70 anos do Poder Legislativo. Na abertura, os vereadores atuais rasgaram seda para o pré-candidato a deputado federal. Escolas visitaram o Palácio 9 de Julho durante a semana, e o Papinha na recepção às caravanas com um largo sorriso. 

Não há neutralidade. Se vota branco, beneficia indiretamente isso, se anular o voto, aquilo. Então, eu sigo o conselho de um amigo que diz não haver jeito de fugir da manipulação, somos incondicionalmente marionetes.  Então, esse meu amigo pelos menos exerce a liberdade de escolher o seu manipulador. 

Um filósofo escreveu que é na política (com ou sem democracia) onde a tragédia humana se revela com maior força. A guerra nasce da política, a distribuição de renda também.

A hipocrisia, então, grassa na política assustadoramente. Faz-se de morto para surpreender o coveiro. Se o sujeito for um cidadão comum, um pum é um pum, se for político, a flatulência passa a ser um estrondo.    

A estrada da vida é isso mesmo, apenas devemos passar por ela com a humildade de significar pouca coisa, procurando dignificar de alguma forma a espécie humana.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Araçatuba-SP

   

8.6.18

Programação do Sesc Birigui - 12 a 17/6



Oficina
Luminária de Madeira
Com Deva Bhakta
Monte uma luminária com sobras de madeira, troncos e galhos encontrados na natureza. Estimulando a criatividade, o reaproveitamento de materiais e a preocupação com o meio ambiente, a ideia é pensar na madeira como matéria prima de decoração e design.
De 12 a 14, terça a quinta, das 18h30 às 21h30
Espaço de Tecnologias e Artes (ETA)
Não recomendado para menores de 16 anos
A partir de 16 anos
Grátis - Inscrições pelo Portal Sesc (vagas limitadas).

Exibição de filme 
Viajo porque preciso, volto porque te amo
Brasil | 2010 | Drama | Dir. Karim Ainouz e Marcelo Gomes
Um geólogo é enviado a uma região isolada no Nordeste do Brasil, para o levantamento de fontes de água, mas começa a sentir a sensação de abandono e solidão.
Dia 12, terça, às 19h30 
Teatro Sesc Birigui
Não recomendado para menores de 14 anos
Grátis - Retirada de ingressos com 1h de antecedência.

Bate-papo
Esporte em debate: Os rumos do futebol no Brasil
Com Daniela Alves, Renato Francisco Rodrigues Marques e Bruno M. F. Pivetti
No debate, convidados e público falam sobre o contexto atual do futebol no Brasil e as possíveis implicações no desenvolvimento da modalidade. 
Dia 13, quarta, das 20h às 21h30
Teatro Sesc Birigui
A partir de 12 anos - Grátis - Entrega de senhas no local com 1 hora de antecedência.

Oficina
Fotografia de Espetáculo 
Com Emidio Luisi
Teoria e prática acerca da fotografia de espetáculo (shows, teatro, dança), abordando peculiaridades técnicas e criativas, dicas e efeitos de câmera. As fotos produzidas em exercício prático serão avaliadas pelo professor.
Trazer equipamento fotográfico, uma roupa e adereço que não use no dia a dia (fantasia, chapéu, bengala, etc). 
Dia 14, quinta, das 16h às 20h, e dia 15, sexta, das 14h às 18h
Sala Múltiplo Uso 2
A partir de 16 anos - Grátis - Inscrições pelo Portal Sesc (vagas limitadas). 
Oficina continuada. Turma única.

Oficina
Curso de Xadrez
Com equipe Pensarxadrez
Curso envolvendo as principais aberturas, jogadas de ataque, defesa e movimentos do jogo de Xadrez.
Dia 14, quinta, das 18h às 21h30
Sala Múltiplo Uso 2 - A partir de 12 anos
Grátis - Inscrições na Central de Atendimento - Vagas limitadas.

Demonstração
Simultânea de Xadrez
Com equipe Pensarxadrez
Atividade de simultânea de xadrez, com o objetivo de possibilitar uma nova experiência dentro deste jogo milenar. Com a participação do mestre internacional Luis Paulo Supi, um dos jogadores mais requisitados na atualidade, que irá para a Olimpíada de Xadrez representando o Brasil.
Dia 15, sexta, das 15h às 17h30 e das 19h às 21h30
Área de Convivência
Grátis - A partir de 12 anos

Show
Verde, Amarelo e Blues – Com Giba Byblos Duo*
O show traz a imersão musical de um brasileiro que percorre a Blues Trail (trilha do blues no Mississippi), seguindo os passos dos mestres do blues pelas Highway 49 e Highway 61 (foi no cruzamento entre as duas, em Clarksdale, que Robert Johnson teria vendido a sua alma). No show, Giba (voz e violão), acompanhado do pianista Dado Tristão, conta as impressões da viagem e executa as canções que estiveram presentes nas suas diversas etapas, em New Orleans, Clarksdale, Memphis, Chicago, e outros locais. 
*O show faz parte do “Festival Mississippi – Tietê” - Dia 15, sexta, às 20h - Área de Convivência - A partir de 14 anos - Grátis

Aula aberta
Dança de Salão
Com Alexandre Decares e Francielly Costa
Os dançarinos Alexandre Decares e Francielly conduzem a atividade, que envolve ritmos nacionais e internacionais, ensinando variadas técnicas de dança aos participantes. A ideia é trabalhar aspectos físicos, psicológicos e sociais por meio da troca de experiências. Não requer inscrição prévia.
De 1/6 a 27/7, sextas, das 18h30 às 20h
Quadra poliesportiva - Livre - A partir de 12 anos - Grátis

Torneios e campeonatos
Torneio Rápido de Xadrez
Com equipe Pensarxadrez
Torneio envolvendo jogadores de diversas faixas etárias das cidades da região de Birigui.
Dia 16, sábado, das 10h às 16h - Sala Múltiplo Uso 2 - A partir de 12 anos
Grátis - Inscrições pelo Portal Sesc (vagas limitadas). 

Vivência
Ritmos Juninos
Aula aberta de ritmos juninos, dentro do Programa de Ginástica Multifuncional (GMF), trabalhando o condicionamento físico, ritmicidade e integração entre os participantes.
Dia 16, sábado, das 10h às 11h - Quadra poliesportiva - A partir de 12 anos - Grátis 

Aula aberta
Monte sua torcida *
Com Sarah Lopes
Confeccione seu próprio adereço para torcer na Copa do Mundo. 
*A atividade integra o projeto especial “Rússia além da Copa”.
Dias 16 e 17, sábado e domingo, das 10h às 13h - Área de Convivência - A partir de 10 anos - Grátis 

Oficina
Bordado Russo*
Sarah Lopes
Nesta oficina, a arte de bordar será ensinada de uma forma diferente da comum, com a agulha de ponto russo, obtendo um bordado em relevo com aspecto atoalhado.
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”. 
Dias 16 e 17, sábado e domingo, das 14h às 17h
Sala Múltiplo Uso 1 - A partir de 14 anos
Grátis - Inscrições pelo Portal Sesc (vagas limitadas). - Oficina continuada. Turma única.

Exibição
Jogos da Copa*
Transmissões "ao vivo"
Durante a Copa do Mundo, o Sesc Birigui fará transmissões dos jogos da Seleção Brasileira, que coincidam com o horário de funcionamento da unidade, desde que não interfiram na agenda das ações propostas ao público para a Área de Convivência. 
*A atividade integra o projeto “Rússia além da Copa”.
Dia 17, domingo, às 15h - Área de Convivência - Livre - Grátis

Vivência
Futebol Freestyle
Com Marisa Cintra, campeã brasileira da modalidade
Vivência da modalidade, na qual o participante terá contato com as manobras (tricks) realizadas no futebol, unindo criatividade e controle da bola. 
Marisa Cintra é a representante brasileira do futebol freestyle feminino, desde 2006 trabalha com o esporte fazendo apresentações em inúmeros programas de TV e eventos pelo Brasil e exterior. A atleta está entre as melhores do mundo, segundo competições mundiais da Redbull Street Style e Superball.
Dia 17, domingo, das 10h às 12h
Quadra poliesportiva - Livre - A partir de 8 anos - Grátis - Sem retirada de ingressos.

Espetáculo
A arte do ilusionismo
Com Caio Ferreira
O espetáculo apresenta uma leitura poética de clássicos do ilusionismo em combinação com a música erudita e instrumental. Interpretações de efeitos de prestidigitação com grandes temas de Mozart, Chopin, Waldteufel, Rossini e Strauss. Premiado internacionalmente nos melhores festivais do gênero, o espetáculo apresenta uma mistura de humor e emoção, a arte da mágica e a boa música. Bicampeão latino-americano de ilusionismo, Caio Ferreira é premiado e reconhecido internacionalmente como um dos melhores artistas do segmento na América Latina. 
Dia 17, domingo, às 17h - Teatro Sesc Birigui - Livre - Grátis - Retirada de ingressos com 1h de antecedência.

Exibição
Apresentação em Futebol Freestyle
Com Marisa Cintra, campeã brasileira da modalidade
A campeã brasileira Marisa Cintra apresenta as principais manobras (tricks) do futebol freestyle. Marisa é a representante brasileira do futebol freestyle feminino desde 2006 e trabalha com o esporte fazendo apresentações em inúmeros programas de TV e eventos pelo Brasil e exterior. A atleta está entre as melhores do mundo e integra competições mundiais da Redbull Street Style e Superball.
Dia 17, domingo, das 15h às 16h
Área de Convivência - Livre - A partir de 8 anos - Grátis 

Vivência
Rotas da Sustentabilidade
Com Agente de Educação Ambiental
Visitas mediadas pela Unidade com foco nos atributos relacionados à certificação LEED de construção sustentável, desenvolvidas na Unidade por meio de rotas: Água, Energia, Áreas Verdes. Limite de 15 pessoas por turma.
Atividade realizada através de agendamento de grupos, sujeitos à capacidade das estruturas sustentáveis da Unidade:
Inscrições pelo e-mail: meioambiente@birigui.sescsp.org.br
Quartas e quintas, das 14h às 16h. Exceto dia 27/6 - Área de Convivência - A partir de 10 anos - Grátis

Vivência
Visita ao Teto Verde
Com Agente de Educação Ambiental
Visita mediada por Agente de Educação Ambiental. Limite de pessoas por turma de acordo capacidade do Teto Verde (15 pessoas). Possibilidade de ser cancelado em caso de chuva. 
Sábados, das 10h às 11h - Terças, das 16h às 18h - Teto Verde - A partir de 12 anos - Grátis - Somente para inscritos a partir de seleção prévia.



Vale a pena participar da política?

Foto: Ângelo Cardoso

Foto final da solenidade do dia 4/6/2018 na Câmara Municipal de Araçatuba, marcando o início das festividades dos 70 anos do Legislativo araçatubense
Hélio Consolaro*

Outro dia um jovem me perguntou como entrei na política, esse negócio de ser candidato, ter cargo público. Não enfeitei minha resposta nem dignifiquei a minha escolha. Respondi-lhe que não sabia.

Não quis usar aquele chavão de que se os bons não participarem da política, a malandragem toma conta, porque eu estaria me classificando como bom e não gosto de me vangloriar. 

O jovem me perguntou se eu gostei de ter entrado na política, pelo menos na municipal. Respondi-lhe que gostei porque ela me tirou de meu ensimesmamento natural, saí de minha casa para conhecer a cidade, mas não me adapto ao modus operandi da política, é um modo de agir cheio de baixezas num campo de ação tão enobrecedor. Nela o que é bom, às vezes, acaba não prestando.  

Se eu tivesse avançado além do ribeirão Baguaçu, chegando a São Paulo ou Brasília, talvez corresse o risco de estar com muitos processos, sendo acusado de corrupção, porque na política tudo é relativo, depende do lado onde bate o holofote.

Minhas raízes estão enterradas em Araçatuba e não sinto vontade de sair do lugar onde nasci. Não sou cidadão do mundo, sou um capiau confesso. Acredito que a universalidade se inicia no local onde se vive. 

No dia 4/6/2018, numa solenidade, fui homenageado na Câmara Municipal de Araçatuba ao completar 70 anos, onde fui vereador por seis anos (1983-88), assim como outras pessoas. 

Aliás, foi baixa a frequência de ex-vereadores na solenidade. Talvez alguns estejam magoados por não se reelegerem, outros decepcionados com a política. O mundo é assim mesmo, meu camarada, ninguém vai mudá-lo. 

Depois de me afastar do mundo político institucional recentemente, já estranhei o ambiente naquele momento da solenidade, cheio de indiretas e provocações, os milímetros são disputados em cada minuto. 

Muitos políticos municipais que estavam na sessão solene vi no ninho e dei comidinha em seus bicos. Não me arrependo, apenas digo isso para dizer que conheço bem do que estou falando; eu também não era boa bisca.

Disse ao jovem para que participasse da política, defendesse sempre a democracia e toda a sociedade, a favor das boas causas. No meu diálogo com ele, percebi que estou ficando velho, pois estou me achando no direito de dar conselhos.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Membro das academias de letras de Araçatuba-SP, Andradina-SP e Itaperuna-RJ

6.6.18

Um amor maduro


Fátima Florentino* 
Publicado  na Folha da Região de 06/06/ 2018

Encontrava-me em um período difícil e triste da minha vida. Não conseguia ficar sozinha. Queria sempre estar na companhia dos meus amigos. 

Sentia meu peito apertar de tristeza e saudade dos meus queridos, meu companheiro e minha mãe que haviam partido há pouco tempo. Evitava estar só com meus sentimentos e pensamentos.

Chegava do trabalho e já entrava em contato com os amigos, para programar uma saída, um encontro, em qualquer lugar, não importava onde. Eu queria ir para rua, conversar, ver gente e distrair meus pensamentos. Como uma típica ariana, não queria curtir minha tristeza, precisava e iria lutar contra ela.

Meus amigos, como irmãos, com toda a paciência e carinho, faziam-me companhia e não me deixavam sozinha. Numa dessas noites e andanças pelos bares da vida, uma amiga convidou outro amigo para juntar-se à nossa roda.
 Fomos apresentados. A nossa empatia foi imediata. Gostávamos de música, literatura, poesia, dança... Conversávamos muito, trocávamos ideias, opiniões, olhares.
Aaahhh esses olhares... Pareciam dizer alguma coisa, mas acho que nem nós mesmos saberíamos o que. Ou já sabíamos?

Ele se integrou ao nosso grupo, saíamos sempre em turma e entre nós foi despertando um interesse maior. Sentimento florescendo e os amigos percebendo. Primeiramente fiquei com medo e preocupada, porque tudo que eu não estava procurando ou querendo naqueles dias, era me envolver com alguém. Não estava nos meus planos. 

As dores pelas perdas das pessoas que amava, ainda as amo, era latente em mim e acreditava que seria quase impossível conhecer uma pessoa e interessar-me por ela. Mas não teve jeito, aconteceu e foi muito mais forte do que eu. 

A vontade de encontrá-lo, conversar, trocar nossas “figurinhas” e ter aqueles olhos azuis dentro dos meus era cada vez maior. Estávamos sempre juntos, várias vezes na semana, em bares, forrós, sambas ou reuniões na casa de amigos. Tínhamos muito em comum, ou melhor, temos muito em comum.

Numa dessas noites, depois de muita conversa, bebedeiras, risadas e olhares, uma chave caiu no chão, embaixo da mesa. Não sei se caiu ou se a derrubaram (será?), mas nós dois abaixamos para pegar a bendita chave. Deu no que deu: olhos nos olhos, rostos muito próximos, bocas muito sedentas de um beijo. Estava sacramentado nosso destino. 

Conforme o tempo passava, quanto mais nos conhecíamos e nos tornávamos íntimos, mais o amor crescia e uma base sólida se consolidava. Uma base que só as pessoas maduras, experientes e sem medo, conseguem construir. 
Uma nova oportunidade que vida nos dava, de planejar um futuro, fazer planos e sermos felizes. 

Hoje, há um tempo juntos, tenho a sensação de que nunca vivi um amor tão calmo, tão forte e pleno. E se tivemos algo parecido em nossa história, em nosso passado, serviu de mais experiência para vivermos o nosso amor agora, de uma maneira que só Deus pode interromper. E eu oro todos os dias, para que Ele nos dê saúde para aproveitarmos tudo que ainda temos para viver. 

Planejamos e vamos realizar nossos sonhos, que não são poucos e nem modestos.

*Fátima Florentino, membro do Grupo Experimental da Academia Araçatuense de Letras


Com referências de diversas culturas, grupo musical Čao Laru se apresenta no Sesc Birigui nesta sexta

Músicas apresentadas trazem experiências adquiridas quando o grupo percorreu 30 mil Km em uma Kombi, entre o Brasil e a Argentina
Coloque dentro de uma Kombi um violino, um cavaquinho, um violoncelo, um pandeiro, um saxofone, uma zabumba, um contrabaixo, maracas e um acordeom. Executando estes instrumentos em ritmos diversos provenientes de diferentes culturas, músicos da França, do México e do Brasil. Essa é a base da “fórmula” do Čao Laru, grupo musical que, após percorrer 30 mil Km em uma Kombi, entre o Brasil e a Argentina, volta a São Paulo para lançar seu concerto Músicas de um Mundo-Quintal

E o Sesc Birigui recebe o show nesta sexta, dia 8, às 20h, na Área de Convivência da unidade, com entrada gratuita. O concerto traz as canções do álbum mais recente, “Kombiphonie”, e propõe o encontro de canções francesas, polifonias leste-europeias e ritmos brasileiros, com cantos occitanos e sons dos Balkãs, entre composições e rearranjos de músicas tradicionais colhidas pelas estradas por onde o grupo passa. 

Entre as músicas que serão interpretadas, estão: "Del sur p’al norte", de Noubar Sarkissian, em homenagem aos andarilhos e trovadores que se alimentam de estrada e são levados por suas músicas; "Ô Baião", na qual a acordeonista e compositora francesa Laura Aubry mescla baião e candombe uruguaio, tudo cantado em francês; e temas ancestrais, como o albanês "Lule lule" e o grego "Min Idhate", em arranjos que misturam manouche e tango. 

Workshop - Também na sexta, das 16h às 17h30, o grupo coordena a Vivência Musical: Músicas do Mundo, destinada a diversos públicos e que propõe uma imersão em um repertório de músicas e danças tradicionais que o Čao Laru coletou durante suas turnês. 

Na atividade, o público é convidado a brincar, dançar e a cantar em polifonia e em diversos idiomas (francês, iraniano, espanhol etc), sem nunca esquecer dos aspectos culturais e das tradições que carregam cada música trabalhada. Não é necessário ser músico, mas é essencial a vontade de compartilhar.

4.6.18

Espetáculos 'Interior' e 'Sinfonia do Adeus' circulam pela região nesta semana

Peças foram desenvolvidas pela Cia. do Blefe, de Araçatuba, dentro do projeto "Outras Cenas", do Sesc Birigui


Os atores Ed Barba (à esq.) e Eduardo Amaral estão em cena em "Interior" e "Sinfonia do Adeus", respectivamente


Os dois espetáculos que integram o conjunto autoral “Iris”, da Cia. do Blefe, e fazem parte da programação do projeto “Outras Cenas”, do Sesc Birigui, já têm a data de sua primeira circulação marcada. Interior e Sinfonia do Adeus passarão por Coroados, Buritama, Guararapes e Auriflama entre os dias 6 e 9 e ainda serão apresentados no Teatro do Sesc Birigui nos dias 23 e 24. A entrada é gratuita em todas as sessões. 

Em “Interior”, um caixeiro viajante traz em suas malas os “causos” do interior do Estado de São Paulo. A peça foi construída a partir de memórias registradas e colhidas durante a oficina "Dramaturgia autoral construída por memórias", ministrada por Heitor Gomes. As memórias colhidas foram organizadas por Gomes e pelos integrantes da Cia. do Blefe. 

O ator Ed Barba é o intérprete do monólogo. A fotógrafa Flávia Baxhix ficou encarregada da documentação em foto e vídeo, que serviu de material de pesquisa para construção da dramaturgia e que também compõe a cenografia-instalação do espetáculo. 

Já “Sinfonia do Adeus” aborda o amor e as perdas. A partir de reflexões sobre as memórias, Renato, protagonista do texto (interpretado por Eduardo Amaral), reverbera suas histórias, onde cada peça é manipulada até se formar um “quebra-cabeça”. 

A direção geral, iluminação e caracterização de ambos os espetáculos são assinadas por Mauro Júnior. A dramaturgia é de Heitor Gomes, fotografia e vídeo, de Flávia Baxhix, direção musical, composição e execução da trilha sonora são de João Gabriel.

Projetos - O projeto “Iris” investiga uma prática de treinamento e procedimentos dentro de um processo de criação protagonizado pelo ator-criador. Já o projeto “Outras Cenas”, que o Sesc Birigui iniciou no mês de abril deste ano, é composto por oficinas, aberturas de processo, estreias e compartilhamentos entre público, companhias e artistas convidados, a fim de destacar, fortalecer e incentivar a produção teatral no interior paulista.

Confira abaixo as datas e cidades onde acontecerão as apresentações:

Dia 6, quarta, às 19h, na Casa da Cultura de Coroados (Rua João Varoni, 5, Centro) - Apresentação cancelada devido ao falecimento do vice-prefeito do município.

Dia 7, quinta, às 19h, no Anfiteatro Elídio Rodrigues do Centro Cultural de Buritama (Pç. Ana Rita Mendes, 16, Centro)

Dia 8, sexta, às 19h, no Salão da Igreja Matriz de Guararapes (Pç. Nossa Senhora da Conceição, Centro)

Dia 9, sábado às 20h, no Centro Cultural e Biblioteca de Auriflama (Rua João Pacheco de Lima, 50, Praça da Matriz)

Dias 23 e 24, sábado e domingo, às 20h no Teatro Sesc Birigui (Rua Manoel Domingues Ventura, 121, Vila Xavier) – Ingressos distribuídos no local a partir das 19h