AGENDA CULTURAL

12.6.13

Curso: como namorar

(com música de Tribalistas - Já sei namorar - logo abaixo) 
Hélio Consolaro*


Não vá estranhar, caro leitor, se alguém montar um curso “Como namorar” e tiver muitos alunos. Como se livrar da timidez, diferenciar um flerte de algo mais sério, interpretar a linguagem não verbal no relacionamento e convidar alguém para sair. As aulas de namoro podem reduzir o recurso ao consumo de  álcool como um modo de criar coragem. Se deixar, os homens pegam as mulheres, arrastam-na pelos cabelos até a caverna.

Você, escolado, poderá dizer que a molecada dá lições sobre assunto nos mais velhos. Nem sempre, há muitos jovens ingênuos, sem experiência, às vezes, até disfarçam certa experiência, mas na verdade ainda são “cabações”.

Na falta de jeito, o bestalhão logo diz:

- Pode ser ou está difícil?

Acha bonito ser feio. Falta-lhe aquele chaveco romântico, palavras doces. Por mais feiosa, diga que ela é linda, maravilhosa. Não existe mulher difícil, o que há mesmo é mulher mal conversada.
 
Voltando à timidez. Às vezes, um problemão (o alcoolismo) ataca uma pessoa por causa de um probleminha (aquela falta de coragem de chegar). Uma boa sugestão para psicólogos desempregados: dar curso para nossos jovens. Também pode ser mais um serviço das escolas, já que pretendem educar para a vida. E olha se não aparecer alguns erados.

E não deve ser um curso reservado apenas para os homens, porque as mulheres precisam perder o complexo de bela adormecida. A tal historinha infantil, que parece tão bobinha, fez e faz a cabeça das mulheres, ensinando que a iniciativa da conquista deve ser sempre dos homens.

Que bobagem! O maior tesão é a mulher partir pra cima, querer conquistar o homem. Essa conquista não se dá apenas antes do casamento ou do ajuntamento, mas em todos os momentos.

Há mulheres (esposas) que têm vergonha de dizer a seus respectivos maridos:

- Vamos dar uma, hoje, benzinho...

Ela espera a iniciativa do maridão. Que Amélia...

O leitor pode estar se perguntando: “o Consa está fora da realidade, a mulherada está partindo pra cima”. Menos, caro leitor. Às vezes, uma moradora de puteiro não sabe namorar, só aprendeu a abrir as pernas. 

Não há mesmo curso para ser pai ou mãe, como formar família. Que tal promover o curso “Como namorar”. Com certeza, evitará alcoolismo e mães adolescentes.

No Dia dos Namorados, ou em qualquer dia, dê um amasso na sua namorada ou no namorado... Se ele for do mesmo sexo, dê aquele beijão em púbico, para escandalizar. Agora, tem esse lado também... Caramba! Eu estava me esquecendo disso...

Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor. Atualmente é secretário municipal da Cultura de Araçatuba-SP 

2 comentários:

Luís Augusto disse...

Escandalizar hehehe essa foi boa! Muito bom o post! Mas me parece q devagarinho elas estão deixando de ser Amélias...

Maria Tereza disse...

kkkkkkkkkk amei

Olha, quando uma mulher é independente financeiramente, segura de si, dona do próprio nariz e certa...muito certa do que quer...e "dá de cima", meu caro, é prudente o homem avaliar a possibilidade de ter encontrado o grande amor da vida dele...afinal, toda mulher assim só quer uma coisa: amor e carinho (e sexo bom, que ela não é besta). kkk
Parabéns por se lembrar dos homossexuais: amor é amor. E ponto.