AGENDA CULTURAL

11.3.18

Morte do Dr. José Maria: mais uma vítima do golpe

Dr. José Maria Ortiz
Velório amanhã, 12/03/2018, a partir das 6h da manhã, na capela funerária Cardassi - Araçatuba-SP. Sepultamento: 17h

Hélio Consolaro*
Dr. José Maria Ortiz era doutor, como a população gosta de chamar os médicos. Para ele e para os militantes do PT era apenas o José Maria. Não sei se era filho, sobrinho ou outro grau de parentesco da minha ex-professora Lucília Ortiz, na terceira série do antigo curso primário do Grupo Escolar Francisca de Arruda Fernandes. Ele vinha do centro de Araçatuba acompanhando a professora numa charrete. Ele morreu com 66 anos, neste 11/03/2018, enfartado; eu estou com 69. Somos contemporâneos.

Depois, descobri que aquele garoto havia virado médico, mas não havia placa dele na rua para atrair clientela  e nem seu nome estava no guia médico da Unimed. Era um médico comprometido com a saúde pública, que não se sentia inferiorizado por ser clínico geral. Era concursado do Ministério da Saúde, prestando serviço na Prefeitura de Araçatuba. 

Fiquei desligado do PT, apenas filiado, por 15 anos, cuidando dos estudos dos filhos e escrevendo em jornal. Fiquei sabendo em 2008, durante a primeira candidatura do ex-prefeito Cido Sério, que ele era o presidente do partido. Já naquele ano teve um AVC.

Cido Sério ganhou a eleição em 2008, não sei se foi por este AVC ou porque o prefeito vitorioso não gostava muito de petistas antigos, autênticos, mas Dr. José Maria que era um profissional comprometido com a saúde pública não foi nomeado como secretário municipal da Saúde de Araçatuba. 

Dr. José Maria era um sujeito passional. Depois do golpe de Michel Temer, ficou irrequieto, inconformado. Nos grupos de Whatsapp do PT, ele emitia dez torpedos por dia. Nada de palavras chulas, textos com conteúdo.

O nosso médico, que nos atendia até por telefone, era uma pessoa respeitada tanto fora como dentro do partido. Uma pessoa com quem se podia fazer acordos que fossem beneficiar a populção.

Nossas famílias não eram amigas. Eu cumprimentava sua esposa, nem conhecia seus filhos, mas sei que era um esposo e um pai exemplar.

Ele deixou a política tomar conta da vida dele, uma temeridade. As manobras do golpe para retirar Dilma, a ameaça constante sobre Lula deixavam-no visceralmente aflito. Esse desgosto com o golpe apressou a sua morte. 

Vai deixar saudades.

PS. Deixou a esposa Hélia, dois filhos, cinco netos.

*Hélio Consolaro é professor, jornalista e escritor.  

8 comentários:

Marcia Eloy Jatahy disse...

Muito triste

Ruy Barbosa disse...

Dr Jose Maria, um apaixonado defensor de um Brasil com justiça social. Lutou o bom combate! Será sempre lembrado.

Rogério Alves Araújo disse...

Que Deus receba de braços abertos!
Grande perda!

Anônimo disse...

Bom, deixa ver se entendi. A morte do citado mortal foi culpa de Temer? Isso mesmo? #mepoupa

Gladiador disse...

Um anônimo covarde, este aí de cima.

Unknown disse...

Gostava muito dele, com certeza fará muita falta!

Anônimo disse...

Você sabe ler, interpretar um texto?

Carlos Nova disse...

Valoroso Companheiro, vai fazer muita falta. Zé Maria, PRESENTE.