AGENDA CULTURAL

9.4.15

Adalberta de Holanda Cavalcante Fortes Martins - O amor pela educação e o bem ao próximo à frente do Amor-Exigente


JORNAL "O LIBERAL", 08/04/2015 - KAIO ESTEVES

Professora, amante de língua portuguesa e atenta aos problemas sociais de Araçatuba, Adalberta de Holanda Cavalcante Fortes Martins, 72 anos, não titubeia ao dar sua opinião sobre qualquer assunto. Mais do que isso, sempre busca enxergar o próximo e pensar como coletivo. É assim que trabalha há mais de 30 anos como professora e a principal peça de ligação entre a entidade Amor-Exigente e a população.

Adalberta nasceu em Alagoas, mas veio para São Paulo ainda jovem, para buscar tratamento mais moderno ao seu pai. Estudou em Guararapes, onde casou-se. É formada como professora normalista - nome dado aos formandos do Magistério - e em letras. Lecionou aulas no Ensino Fundamental, Médio e Superior. Ministrou aulas de literatura no Centro Universitário Toledo e linguagem jurídica na Unip (Universidade de São Paulo).

"Mudei para Palmeira D'Oeste (SP), onde me efetivei como professora e lá vivemos 15 anos. Vim para Araçatuba por convite feito pelas irmãs do Colégio Nossa Senhora Aparecida para lecionar Português. Consegui transferência e também fui convidada para dar aulas no Colégio Objetivo. Atualmente, sou aposentada, mas tenho um curso de Português para vestibulares e concursos públicos", conta.

AMOR-EXIGENTE
O amor pela profissão despertou em Adalberta outro trabalho, desta vez solidário, em Araçatuba. E veio pela entidade Amor-Exigente, que existe na cidade há 27 anos. Aqui, o programa foi instalado por uma mexicana, Rosário Perez, que conheceu o trabalho nos Estados Unidos. O projeto veio para o Brasil há 30 anos, por intermédio do padre jesuíta Harold Hahm.

Rosário participou de um curso do programa em Campinas e criou a entidade em Araçatuba junto com outros voluntários.

"Trata-se de um programa que atende às famílias que enfrentam o comportamento inadequado de seus familiares, principalmente o uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas. Nessa ocasião, eu havia perdido meu filho, assassinado, e usuário de drogas. Quando fui convidada para a 1ª reunião de Amor-Exigente, relutei, pois já não tinha mais meu filho. Convencida por Rosário, muito católica, ela tinha a certeza de que Deus tinha uma missão para mim. Deixei-me conduzir e fui seduzida por esse programa abençoado. Foi aí que conheci meu filho, através do filho do outro. Entendi o que é o verdadeiro amor", explica.

A associação conta com 12 voluntários e funciona na Avenida Prestes Maia, nº 1255. Reuniões são realizadas às terças-feiras, às 20h, entre os voluntários e familiares que optam em conhecer o programa.

"Lá, o foco está na família, que, a partir de mudanças, consegue cumprir as metas estabelecidas. Os jovens também têm reuniões, em salas separadas, e, com o apoio familiar, vão mudando o comportamento, ou caso necessitem, buscam internação. Atendem-se, anualmente, por volta de 2 mil pessoas".

Segundo Adalberta, o Amor-Exigente é um programa que se coloca a serviço da comunidade, contribuindo para a transformação de nossa época. "Com a prática dos 12 Princípios Básicos e Éticos, adquirimos habilidades de sermos verdadeiros com nosso ambiente familiar e com o meio social.

Falar de princípios éticos, é refletir sobre o comportamento que norteia a nossa conduta.", afirma.

CAPSI
Um dos objetivos do programa é, também, levar o projeto para as pessoas da cidade que não conheçam. "Meu objetivo é poder mostrar às famílias que passam por essa praga do mundo moderno, as drogas, que tem jeito. Precisamos fazer a prevenção primária. Urgem ações nesse sentido. Já se pode contar com algumas, após seminários em que estiveram presentes representantes da Saúde, Ação Social, Justiça, Educação e sociedade em geral. Foi a partir daí que surgiu a proposta da instalação do CAPSI, onde funciona a Unidade de Atendimento à Criança e Adolescente Adicto, sob a responsabilidade do Amor-Exigente".

A entidade aguarda a implantação do CAPSI, já funcionando como Unidade de Atendimento à Criança e Adolescente Adicto, na rua Sílvio Russo, nº 263, no bairro Água Branca I. Lá existe uma equipe multiprofissional, que atende diariamente das 8h às 18h. Como Amor-Exigente não recebe verba de nenhuma esfera pública, o fundo municipal, através do Comdica (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), repassa a verba para pagamento da equipe. As demais despesas são assumidas pelo Amor-Exigente, que recolhe óleo usado de cozinha e o vende para ser industrializado.

EVOLUÇÃO
Para a professora, projetos sociais voltados para o comportamento de crianças e jovens avançou em Araçatuba nos últimos anos. Porém, faz uma ressalva. "Como a demanda é grande, mais políticas públicas se dizem necessárias. Acredito que quando as secretarias municipais, de forma unificada, sem competição, visarem à melhoria do município, todos têm a ganhar. Amor-Exigente trabalha com essa visão, principalmente, diante de um mundo competitivo, confuso nas relações sociais, famílias permissivas, questões materiais sobrepondo valores morais e tantas outras superficialidades".

Adalberta deixa um recado aos leitores para que se olhe mais para os jovens e conheçam o projeto. "Tomei a liberdade de contar um pouquinho da minha chegada ao Amor-Exigente, não para falar de mim, mas para convocar os que estão lendo esta matéria, a nos unirmos em busca de um mundo melhor, uma Araçatuba melhor.


A alegria é um caminho que devemos percorrer durante a vida inteira. Nós, do Amor-exigente, agimos com força, fé, alegria".

Nenhum comentário: