AGENDA CULTURAL

16.4.12

DEPRESSÃO: QUANDO A VIDA PERDE O SENTIDO

Vivi longos e terríveis anos em depressão e o pior: sem saber. Uma forte e incontrolável sensação de angústia, medo, pensamentos acelerados das piores coisas e fatos possíveis: sintomas concomitantes de síndrome do pânico. Houve detonadores para que todo este quadro se instalasse: sofrimento e falecimento do meu pai, perda de emprego do meu marido, mudança de cidade, falta de dinheiro para as necessidades básicas, entrada na faixa dos 40 anos. Dois filhos para educar e um marido para apoiar. Pifei, geral. Pirei na batatinha. Comi o pão que o encardido amassou, de 2001 até 2008. Sim, o período de calvário foi grande. 

Nesse meio tempo, um mês após fazer 40 anos comecei com uma taquicardia muito louca, o coração parecia querer saltar do peito, do nada a sensação surgia, me desestabilizando totalmente. Diagnóstico: hipertensão arterial, após serem descartados problemas de tireoide, que causam sintomas parecidos. No meu caso tive sorte: o coração avisou. A pressão alta é silenciosa, na maior parte dos casos. 

Comecei imediatamente com a medicação. Interessante: os dados da pressão não batiam com os demais, glicose, colesterol, triglicérides, etc. Fala do meu cardiologista: "cuide do emocional, mude o que precisa ser mudado dentro de você. Faça algo por você. Cante, dance, escreva, sapateie, faça o que gosta. Mas faça."

A depressão ainda estava camuflada, crescendo dentro de mim e tomando conta da minha vida. E levou 7 anos a danada, pra ser enfim descoberta e assumida por mim. Os sintomas ou sinais os mais diversos e concretos: perda total do desejo sexual (libido zero), sentimento constante de menos valia, desejo de isolamento, sono excessivo, gripes constantes (baixa imunidade), problemas de pele (alergias e espinhas), alta irritabilidade e nervosismo, falta de paciência com o mundo e todas as pessoas que se aproximavam de mim, pessimismo constante, oscilação de mau humor (ruim, pior um tiquinho, terrível), perda de apetite, perda de tesão pela vida. Só pra resumir a ópera.

O pior de tudo, na minha opinião, é a ideia de suicídio, que vinha naturalmente, como se tem a vontade de tomar um remédio para uma dor. Do nada eu pensava: " Se aquele carro ali passasse por cima de mim até que seria bom...". Muito doloroso...terrível experiência que só quem passou consegue dimensionar. 

A sensação constante de desânimo e fadiga (preguiça mesmo), vontade de só ficar quieta, deitada...me acompanhava. Mas eu trabalhei sem parar, neste período todo. E meus filhos cresciam...e a duras penas conseguia dar-lhes o meu amor, minha presença. Meu marido sofreu junto, faltava buscar as estrelas pra me ajudar. Grande amigo, grande companheiro. Sempre me acalentou, me suportou, procurou entender. Jamais me esquecerei disso...sou eternamente grata a ele. Por tudo. Mas sei o quanto foi difícil pra ele continuar me amando, me entendendo quando nem eu mesma me entendia. 

Enfim, Deus me mandou uma bela gripe, que não passava, ia e voltava com força total. A angústia chegou num tal ponto que o peito doía demais: mudei de cardiologista. Entrei no consultório para tratar a dor física e saí com a dor emocional, enfim, diagnosticada: DEPRESSÃO FORTE, INSTALADA.

A consulta durou mais de uma hora e meia, do tamanho das minhas demandas emocionais. Pressão arterial ótima, coração aos frangalhos, memória péssima, concentração zero que aumentava meu déficit de atenção. Não entendi até hoje como consegui conquistar dois prêmios estaduais neste período (2005) e o melhor resultado no Projeto Avançar (alunos com dificuldades de aprendizagem), em 2006. Talvez se não fossem estes prêmios eu teria estado pior. Nunca parei minha vida profissional, graças a Deus.

O início do tratamento não foi fácil, o medicamento demora a mexer positivamente com a química cerebral e a impaciência me fez pensar que de nada adiantaria. Persisti, queria muito melhorar e voltar a ver sentido na vida. Ser a pessoa espontânea, alegre e divertida que sempre fui. 

Durante todo este período não escrevi uma linha. Um poema, nada. Mal fazia uma lista de compras. Lia pouco, começava a ler e dormia ou perdia o interesse logo. Não achava livro nenhum interessante. Perdi amigos nesta época: ninguém suportava o pessimismo e as oscilações de humor, ora extremamente alegre, ora vertiginosamente triste. Não os culpo, nem eu me suportava. Iam embora da minha vida? Ah, já vão tarde, eu pensava. Amor era uma palavra morta, seca. Meus filhos e meu marido eram meu único suporte afetivo. E olhe lá.

Por que conto tudo isso hoje? Para ajudar aqueles que, por desventura, estejam sentindo algo parecido. Depressão é para os fortes, os fracos, suicidam. Colocam um fim rápido e fácil na própria vida e na vida dos demais. Os fortes enfrentam, rastejando, mas enfrentam.

Cuidar da depressão é a maior prova de amor que alguém pode se dar e dar ao outro. Eu cuidei. Eu me amo, amo minha família, meus amigos. Amo a vida e tenho sede e fome de vivê-la. Pense nisso...depressão é o câncer na alma. Mas ele tem cura. Depende só de você.

"EXISTE UM LUGAR QUE DEVEIS OCUPAR E NINGUÉM MAIS PODE OCUPÁ-LO; ALGUMA COISA QUE TEREIS DE FAZER E NINGUÉM MAIS PODE FAZER." (do livro Alegria e Triunfo)

29 comentários:

Anônimo disse...

Bravo! Passo per luta há 3 anos. Sofro de depressão desde os 10 anos de idade mas, só fui diagnosticada aos 34 anos. Meus amigos, sempre acharam meu comportamento punk, rebelde...até eu acreditava nisso. Quando cheguei aos 30 anos, o comportamento "punk" deu lugar ás idéias suicidas, e a "rebeldia" virou transtorno do pânico. Enfim, assumi para mim e á todos meu quadro de Depressão aguda + transtorno do pânico. Hoje aos 36 anos, continuo minha luta. Já venci algumas etapas mas, ainda falta muito... Boa sorte, à todos que como eu estão nesta empreitada da vida.

Anônimo disse...

Estou deitado e lendo esses relatos, trabalho e estudo mas quando chega fim de semana começa as ansiedades e solidão, parece que minha fé não funciona, mas sei que Deus está comigo, minha cabeça e auto estima estão em baixa, tudo sem sentido, tenho 39 anos, já não sei o que faço, nada tem graça, fadiguei.

jana disse...

Nossa, me identifiquei tanto com esse texto que até chorei, aliás, de uns tempos para cá tudo é motivo de choros e tristezas. Sabe, sou bem diferente de vc aí do texto, tenho 19 anos, faço 20 esse mês, não tenho filhos... sinto que não tenho ninguém, a mais ou menos um ano fiquei noiva de um cara, meu namorado a mais de três anos, porém nesse meio tempo, me envolvi com outras pessoas, fato esse que acabou resultando numa paixão (só da minha parte), acredito que esse foi o maior fato pra arruinar com a minha vida. Minha relação com meus pais e minha família sempre foi desastrosa, sai de casa aos 16 anos, trabalhei quase de graça em um mercado, o dinheiro mal pagava os gastos que tinha com a casa, vivia sozinha, era trabalho pra cama, cama pro trabalho, a única pessoa que eu tinha era meu noivo, eu sei que é erradíssimo fazer o que estou fazendo, enganar ele, mas em meu estado de fundo do poço nada faz sentido... Pra mim a vida não tem mais sentido. Sobre o amor, já amei muito, mas sempre as pessoas erradas, já sofri muito por homens, talvés esse tenha sido meu maior mal. Atualmente continuo trabalhando, e estudava, sim estudava administração, mas larguei, na faculdade não tinha amigos, não suportava minhas colegas falando doa anel caríssimo que haviam ganhado do amor da vida delas ou do dia de salão de beleza com a mãe, nunca tive isso... então me afastava. Amigos hoje só tenho meu namorado, a mais de um ano não saio pra festas, baladas, o que é típico de pessoas da minha idade, sinto ódio da vida, sinto nojo de mim, me acho horrível, me sinto mal tentando ser feliz, me sinto uma boba alegre. E assim eu vou levando, desde os meus dezesseis, não sei até quando, preciso de ajuda...

Anônimo disse...

Boa noite,
Estou me sentindo assim, já não vejo sentido na minha vida, peço nas minhas orações pra Deus me levar.
Cansei de tudo,meus sonhos acabaram, meuss objetivos nem sei mas quais são..

Anônimo disse...

Me identifiquei tanto mais o pior e que nem trabalho nao faco nada nao tenho paviencia animo com nada

Anônimo disse...

A grande e triste verdade, que a maioria das pessoas evita enxergar, é que, a menos que você tenha um grave problema de saúde, dinheiro faz, sim, toda a diferença. A esmagadora maioria das pessoas deprimidas não mora em uma mansão em Florianópolis em frente ao mar,não tem um Ferrari na garagem nem um rosto e um corpo maravilhosos, já notaram? Vivemos acreditando que "o pouco com Deus é muito", quando na verdade a realidade é diferente. Em resumo e sem hipocrisia, é natural que uma pessoa pobre, feia, que pega não sei quantas conduções lotadas todo dia pra trabalhar por uma ninharia de salário e depois chega em casa (melhor seria dizer casebre, barraco) e dá de cara com uma baranga ou um bagulho de marido esteja mesmo muito deprimida. Como esperar ser feliz levando uma vida tacanha em um mundo com tantas (im)possibilidades? Não é de estranhar que hoje em dia o número de ateus esteja aumentando vertiginosamente.

Tiago Coelho disse...

ME IDENTIFIQUEI COM SEU CASO, PARABENS POR TER VENCIDO ISSO, NO MOMENTO ESTOU DO MESMO JEITO QUE VC TAVA E AI CONTRARIO DE VC A PESSOA QUE PENSSEI QUE FOSS E ME AJUDAR NESSA FAZE SO ME HUMILHOU E ME CHAMOU DE LOUCO, TEM ALGUMA DICA PRA MIM?

Anônimo disse...

Rebeca
Parabéns! Você foi uma guerreira, passei por todas essas fases que você descreveu, mas me separei e também tive que lidar com essa perda. Mas gostei muita da sua observação de que: depressão é para os fortes. Me senti forte, pois me sentia uma fraca. Ainda não superei totalmente, mas as crises estão controladas com remédio, ficou só a falta de sentido para a vida e o isolamento.
Bjss

Anônimo disse...

Difícil realidade é essa de se encarar e se ver em ruinas.
Belissimo texto, mas o que mais me impressionou foi a faixa etária acima dos 35 anos. Eu completo 38 anos. Fui músico profissional, trabalhei numa companhia de Petroleo offshore e hoje em dia busco uma luz em minha vida.
Estou desempregado a quase 2 anos, é triste isso gente. Sou homem e é dificil não ser o responsável pelas finanças.
Suicidio eu nao penso, talvez por um seg mas nao alimento porque sei que é perigoso esse monstro.
Tenho vontade de sair do Brasil pra ver se eu melhoro com a possibilidade de em outro lugar poder fazer o que quiser, é como renascer.
Triste, espero sair logo desse quadro de tristeza...

Anônimo disse...

Resumidamente vc tem a solução para o problema mas as pessoas a sua volta não tão nem ai acham mais facil falar lhe encher de adjetivos como encostado preguiçoso inutil, infelismente essa e a realidade.

Luciano Querobino disse...

Eu espero a morte com um sorriso sarcástico e amarelo no rosto...não me importo se será hoje ou no futuro, só sei que um dia ela vem .

NJ disse...

Nossa, tudo q vc descreveu sobre depressao, estou passando. Moro email USA, familia no ten hours aqui. Marido Americano q so pensa nele mesmo. No tenho filhos. 45 anos. Amigos tanto aqui Como no Brazil, todos sumiram. Meu unico companheiro e AMIGOS FIEL, Meu cachorrinho Zorro. Vice comigo 24hrs todos os dias. Ele e Meu Anjo. Zorro e a razao pela qual estou viva. Eu so penso email morrer, mas jamais irei me matar. Na familia DE meu pai, 4 suicidios.... jamais farei isso para eles. Ma's estou to solitaria, q pass atell 2 semanas so coversando com o meu cachorrinho.... e uma do to forte q no consign descrever... a solidao e a depressao estate me matando muito lentamente...

lunatidoido disse...

Minha irmã cometeu suicídio. Temos um histórico familiar de doenças psiquiátricas. Eu não concordo quando você diz que os fracos se suicidam. Acho que o suicídio pertence aos corajosos, aqueles que se recusam a continuar perdendo a vida a conta-gotas, como a maioria faz. Eu estou atravessando um período de depressão, mas tenho transtorno bipolar, me trato há 12 anos e estou acostumado. Sei que tudo é questão, no meu caso, mais uma vez, de esperar a medicação adequada fazer efeito. No mais, vc tem razão, depressão é assim mesmo, a perda total de energia, de tesão pela vida, nada mais parece ter sentido. mas a boa notícia é que é possível controlar, com o acompanhamento psiquiátrico adequado. Problema é que a maioria não se dá conta.

Qualityclass@hotmail.com disse...

Meu marido e o motivo da minha depressão já não sinto vida emais minha alma morro todos os dias e já não ligo mesmo meus filhos já estao criados e só vêem elese menos por fim só quero que a paz venha logo por favor

Lika disse...

Oi Maria Tereza, linda sua história de superação! Me identifiquei muito,principalmente na parte em ue você sita seu marido, o meu também me ajuda muito, procura me entender não me deixa desistir e horas eu o admiro por isso e horas odeio. Nos vivemos um momento muito complicad em que temos um filho ainda pequeno de 1ano e nove meses, um apartamento pra pagar e pouco dinheiro porque eu estou desempregada e meu marido ganha muito pouco. Ou seja difícil! Eu nunca fui a um psicólogo para comprove minha depressão, primeiro porque minha familia era muito humilde e eu e meus pais nao tínhamos um dialogo de como ia minha escola ou vida emocional, mais ainda assim eu sei que tenho depressão porque leio sobre e sinto todos os sintomas.O estopim dessa explosão de sentimentos foi quando descobri minha gravidez, desde então eu nunca maia tive paz! Eu tento me esforçar pelo meu filho, eu não quer que ele cresça com a mãe desequilibrada como eu sou, eu tenho so 22 anos mais ja passei por tanta coisa :/ . O desejo de tirar a própria vida é sem duvida pior das sensações, agora mesmo eu achei esse seu artigo porque estava lendo sobre " quando a vida perde o sentido" eu não tenho maia alegria em nada, e tenho saudades de querer algo! Engo saudades de gostar da minha companhia, isso é horrível, a dor que não some, o desespero e o medo de tentar e se frustrar novamente. São tantas coisas... Hoje eu sei qe quero me tratar mais não tema condição financeira pra nada, nada mesmo. E fico travada quando penso em ir em um psicólogo no SUS se é que tem, porque infelizmente eu tenho a mania de pensar: o que eles estão pensando de mim ?! e isso faz com que eu nao queira sair de casa, ou ouvir pessoas. enfim só quero que isso passe logo!

Unknown disse...

Também sinto a mesma coisa. ...incrível

Neucy disse...

Me identifico com quase td que li, inclusive nos comentários. Minha vida tbem não tem sentido e raríssimas coisas me dão ínfimo prazer. Estou há oito anos me tratando sem conseguir me livrar do problema. Às vezes penso que não irei conseguir e que seria ótimo dormir e nao acordar mais. Penso em minha família e por ela, continuo me arrastando pela vida. Me pergunto com frequência, por quanto tempo, conseguirei resistir.

Anônimo disse...

É angustiante saber como que a vida pode mudar de repente, sem você ao menos esperar. Sou jovem, estudo em uma universidade pública conceituada, estou na melhor faculdade de direito do país, tenho pais maravilhosos, que possuem uma situação financeira muito boa. Sempre imaginei que depressão fosse "frescura", até acontecer comigo. O gatilho disso tudo foi um término de um relacionamento de longa data de forma traumática pra mim, fato que me afetou profundamente. Hoje me encontro com a vida paralisada, sem conseguir reagir. Tenho que lidar com as pressões sociais e familiares, todos esperam muito de mim e eu não consigo corresponder. É um estado de paralisia total. A sua mente, em uma hora dessas, pode ser extremamente perigosa: ela te destrói, pouco a pouco. Suicídio é um pensamento extremamente recorrente em minha cabeça, não sei o que fazer, pois perdi a fé. A cada dia pioro, e o que mais doi é a incompreensão das pessoas ao meu redor. É uma batalha que luto sozinho, e já perdi. Não sei mais o que dizer. Espero que Deus abençoe a todos aqui.

Anônimo disse...

Amigos, eu venho encarecidamente fazer-lhes um pedido. Há um ano eu acompanho as publicações de vocês, nunca escrevi nada mas me identifiquei com a postagem e com os vossos comentários, vivi(e vivo) um momento de depressão na minha vida, já estive na sala da morte algumas vezes tentando me matar. eu achei que isso nao iria ter cura, que eu jamais iria melhorar, ma shoje eu estou melhor , não estou curado, mas aos poucos minha vida começou a ter sentido novamente. Eu, como muitos de vocês tive que encarar isso sozinho, tenho pais idosos, e um deles sofre de depressão também, eu nunca conversei com eles sobre isso, por isso, como muitos, sofri muito, muita pressão e incompreensão de todos os setores da minha vida, minha namorada me deixou, meus amigos também, e eu também parei de conviver com eles, mas encontrei na solidão uma maneira de ficar em paz comigo mesmo, tenho essa doença a 6 anos, cai e levantei inúmeras vezes, perdi tudo que tinha, me afundei profissionalmente, mas nunca deixei de acreditar, de lutar, de matar leões todos os dias e sofrer. Foi em mim mesmo que eu encontrei essa coragem, estava lá dentro de mim esmagado por um sentimento de dor e solidão, mas eu encontrei essa força, e não é fácil acreditar em si mesmo essas horas, pq o resultado demora a aparecer mas acreditem, todos caem mas só os que querem ficam no chão. Então queria pedir que vocês não desacreditem nunca.. a morte é certa não há porque querer adiantar ela.. outra coisa para todas coisas da vida que você pode conquistar o "não" você já tem, pra tudo e o sim só quem conquista somos nós, vamos começar a correr atrás desse sim, da vida.. e pra finalizar lembre- se de que disse Henry Ford: "Quando tudo lhe parecer contrário lembre-se do avião que decola contra o vento, e não com a ajuda dele", um abraço fiquem com Deus.

Rosane Wosniak disse...

Muito obrigado amigo, seu comentário foi muito positivo.
Queria que a dor desaparecesse.

Anônimo disse...

É realmente muito ruim esse sentimento de angustia, de solidão...

Anônimo disse...

também, estou vivendo essa fase que parece não ter mais fim.nada faz sentido para mim, estou desempregado não tenho ânimo para nada.mais tenho fé que Deus vai me ajudar e a todos vcs que estão passando por isso...

Anônimo disse...

Também estou vivendo esse dilema. A sensação é que nunca tem fim. Nada tem sentido. A cada dia estou mais triste e sózinha. Desempregada vivendo de favor e sendo humilhada. Tenho superior e pós completos. Feitos com mta luta e sacrifico, pois minha familia nunca me apoiou em nada. A dor maior é quando a noite chega e saber que amanhã será outro dia e tudo será igual. Penso até em suicidio pra por um ponto final na vida.

Anônimo disse...

Me identifique 😭😭😭😭😭😭😭😭😭

Anônimo disse...

Sei como é isso... estou vivendo assim...

Anônimo disse...

Estou passando por isso , cada dia mais frágil , cada dia mais triste , não estou vendo saída desempregado , tenho filhas pequenas queria muito dar a elas tudo e não posso , morando d favor , sendo humilhado muitas vezes , acho a esta chegando o fim

Anônimo disse...

Sou casada há quase 20 anos, meu esposo é muito frio, fico 24 horas por dia dentro de casa, não consigo arranjar emprego , sonho em ser mãe mas meu esposo não quer de jeito nenhum, acabei de saber que minhas duas irmãs estão grávidas e tudo que acontecem elas recorrem a mim, enfim não tenho nada pra fazer nesse mundo a não ser: acordar, arrumar a casa, fazer comida e depois ir dormir, no outro dia? Acordar, arrumar a casa, fazer comida e assim sucessivamente... Então pergunto: isso é vida?

Anônimo disse...

Vc tem toda a razão.

Regina disse...

Olá Jana sinto o mesmo q vc queria falar com vc pelo Zap vc concorda?